Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Deputado gasta quase R$ 2 mil para pagar lanche

Valor foi pago por Álvaro Guimarães (PR), segundo Portal da Transparência.
Túlio Isaac (PSDB) também usou R$ 1.578 para quitar conta em lanchonete.

Do G1 GO,
Os gastos de alguns deputados goianos com alimentação estão atraindo a atenção da população. Segundo dados do Portal da Transparência, um deles, o deputado Álvaro Guimarães (PR), pagou R$ 1.919,50 - valor equivalente a aproximadamente três salários mínimos - para tomar um lanche.
Outro caso polêmico é o do deputado Túlio Isaac (PSDB). No mês passado, ele gastou R$ 1.578 em uma lanchonete na Praça do Avião, no Setor Aeroporto, em Goiânia.
As despesas com alimentação foram pagas com a verba indenizatória a que cada deputado tem direito, no total de R$ 23.671 mensais. Com a aprovação da Lei da Transparência, os políticos são obrigados a divulgar quais são os custos arcados com o montante.

A população recebeu com estranheza esses dados. Para o empresário Luís Gustavo Santos, há algo de errado. “Em média, uma pessoa gasta de R$ 10 a R$ 15 para tomar um lanche. Para pagar R$ 1,5 mil tem que ter muita fome”, afirmou. Já a autônoma Leila Rocha se diz envergonhada com os casos. “Muita gente vive o mês inteiro com um salário mínimo e eles gastam três em apenas uma hora”, destacou.
Procurada, a assessoria de Guimarães disse que ele tem um convênio com a lanchonete onde foram gastos quase R$ 2 mil e que os lanches teriam sido distribuídos para pacientes do interior que fazem tratamento na capital.
Já a assessoria de Isaac afirmou que ele só vai se posicionar sobre o caso quando voltar de uma viagem a Goiatuba, no sul do estado, para onde seguiu na tarde de terça-feira (20).
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Helder Valim (PSDB), informou que uma auditoria interna é realizada para verificar as notas fiscais apresentadas pelos políticos. Só depois de ter as contas aprovadas, a verba indenizatória é liberada para cada um.
Reações:

0 comentários: