terça-feira, 27 de agosto de 2013

Veja o perfil de Antonio Patriota, que deixou comando do Itamaraty

Os ministros Antonio Patriota(Relações Exteriores) e Celso Amorim (Defesa),em audiência no Senado sobre denúncias de espionagem dos EUA (Foto: José Cruz/ABr)

Ministro deixou cargo após boliviano vir para o Brasil sem autorização.
Luiz Alberto Figueiredo, embaixador na ONU, será o novo ministro.

Nomeado pela presidente Dilma Rousseff no início do mandato, Antonio Patriota deixou o Ministério das Relações Exteriores após reunião com a presidente Dilma na noite desta segunda-feira (26). Ele passará a ser o novo representante do Brasil nas Nações Unidas.
O motivo da demissão foi o episódio do senador boliviano Roger Pinto Molina, que estava asilado havia um ano na embaixada brasileira em La Paz e foi trazido para o Brasil em um carro oficial brasileiro, embora não tivesse autorização do governo boliviano para deixar o país.
O Palácio do Planalto anunciou como novo ministro Luiz Alberto Figueiredo, atual embaixador do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU).
Antes de ser ministro, Patriota era secretário-geral das Relações Exteriores, segundo cargo mais importante na diplomacia. Ele já tinha sido embaixador do Brasil em Washington (EUA), entre 2007 e 2009.
Natural do Rio de Janeiro, tem 59 anos e ingressou no Itamaraty em 1979. É casado com a americana Tania Cooper Patriota, funcionária da ONU, e tem dois filhos.
Além de cargos de assessoramento da cúpula do ministério, em Brasília, Patriota também representou o Brasil em organismos internacionais. De 1999 a 2003, atuou em Genebra (Suíça), como representante na Organização Mundial do Comércio. Antes, participou da Missão Permanente do Brasil junto às Nações Unidas em Nova York entre 1994 e 1999.
De 1992 a 1994, foi subchefe da Assessoria Diplomática do Presidente Itamar Franco. Antes disso, trabalhou nas embaixadas do Brasil em Caracas (1988-1990) e em Pequim (1987-1988).

Nenhum comentário: