segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Aveiro - Cinco Vereadores Livram o Prefeito Fuzica da CPI.

CPI REJEITADA POR CINCO VEREADORES.
Na sessão do dia 03 de setembro de 2013, todos os vereadores estiveram presentes, que após várias sessões o povo querendo assistir a sessão o  presidente cobrando a presença dos cinco vereadores, no dia 03/09 a mesa  pode dar inicio a primeira  sessão  de setembro.
Os vereadores presentes na sessão : Gilmar Lira, Ulisses Franco, Francildo , Paulo Henrique, Rubemir P. Santos, Vânia Felix, Irany e presidente Raimundo Ronilson (Preto do Satiro).
Aberto os trabalhos da sessão ordinária a mesa colocou em pauta para discussão e  aprovação a  abertura de uma CPI, para que sejam apuradas as responsabilidade dos envolvidos   na venda da madeira, uma das maiores maldades que fizeram com o povo humilde desse município
Mas uma vez foi pronunciado pelo vereador Antonio Paulo, que ele até a onde viu não ver a participação direta do  Prefeito Olinaldo Barbosa o (Fuzica)mais ver o Ex-Secretário de Meio Ambiente João Batista de Paiva e e Fredson Fernando Mota Batista funcionário publico municipal de Aveiro, hoje licenciado  , todos acusados do envolvimento com a culpabilidade direta na venda.
Até por que,segundo informações diante dos vereadores Gilmar Lira, vice-prefeito Luciano, o filho dele e o senhor Arildo Mota ,prefeito Olinaldo o ex-secretário confessou a venda da madeira e disse quê depositou na conta do senhor Hiraldo do Armazém Norte R$ 200.000,00 . Quem vai perder madeireiro, Paiva, Município, a final de contas por que os vereadores são contra a CPI .
Aconteceram algumas discussão dos vereadores Gilmar Lira e Paulo Henrique, os dois receberam notificações do Ministério Público Federal, Paulo Henrique por está recebendo da Prefeitura, Estado e INSS, indevido segundo palavras do vereador Gilmar Lira.
O que se percebeu nas oratórias dos vereadores do grupo G5, que pelos comentários das pessoas presentes, e que  todos os vereadores que se prenunciaram e  ouvido por todos, que  foi criado uma  defesa para não ser criada a CPI. Todos perceberam que foi tudo estudado por que não iriam aprovar a CPI.
Segundo pronunciamentos foram contra a CPI, por que não tinham conhecimento da documentação, hipocrisias, uma vez quê essa confissão e a descoberta desse fato fazem mais de mês, e não porque eles queriam conhecer melhor o processo e porque não tinham conhecimento do conteúdo.
O povo não é mais besta, tanto que quando saiu a decisão da rejeição o povo que estava presente virou as costas e foram saindo aos poucos e todos perceberam  que há proteção ao gestor.
Agora, perguntar não ofende “Porque medo da CPI, se os verdadeiros responsáveis pela venda da madeira estão soltos, gozando do beneficio da venda da madeira” Querer que volte a madeira é notório porque ouve a venda sem autorização do povo a qual foi destinado, mais, que se deixe bem claro, não se  exime  os culpados do crime.
O quem não deve não teme, por que não deixar criar a CPI, por que será é medo que a verdade venha a tona. Será que o gestor não vai tomar nenhuma providencia demitindo o funcionário, que fez a venda da madeira junto com o PAIVA? Tá na cara que podem existir mais envolvidos e que o Ministério Público Federal tem que tomar conhecimento e tem que haver punições para essas pessoas. Ou, tem gente protegendo quem sabe muito.
Pena, que a Rádio o povo lutaram pela mudança e conseguiu mudar o quadro político dos dois poderes legislativo e executivo, mais é uma  pena que ficou um vírus, que continua contaminado as pessoas dentro daquela casa e está transformando os vereadores a se espelhar no espelho do descaso e menosprezando a inteligência do povo.
Gente a MADEIRA é do povo, foi vendida e a policia tem que recuperar essa madeira e colocar atrás das grades pessoas desonestas, que continuam lesando o povo de Aveiro. Mesmo a policia devolvendo ou dono da madeireira, houve um crime e tem que serem punidos, os dois peixinhos não devem ficar calados diante das acusações  sendo eles pais de famílias, já que a coco está no ventilador que mele todos de uma vez.
Não podem as autoridades sabendo desses e outros  esquecer, essa vergonha  que vender sem permissão é roubo e, como se estivesse o povo todos cegos e surdos e mudos, que haja exemplos, que haja moralização da própria justiça, não aceitaremos que haja descaso nessa pouca vergonha  . Não iremos  calar diante dessa imoralidade de deixar o povo de Aveiro mais na miséria. Para de cutucar a demora pelas punições contra essas pessoas Digo: Somente PAIVA E FERNANDO eles não agiram sozinhos.
Após ser discutido em plenário a criação da CPI,  o presidente colocou em discussão e como houve aposição dos cinco vereadores que estão dando sustentação ao gestor,dizendo que eram contra a CPI, mais, os vereadores que não aprovaram esquecem que a opinião pública está formado, que todos sabem o que aconteceu e que as provas da venda da madeira é verdadeira e que ninguém pode mais esconder.
Com a rejeição os a mesa diretora da casa irá usar da prerrogativa de Lei Orgânica do                Município que se pode se criar CPI até com menos  da metade de um terço e que agora, irão apresentar ao Ministério Público, para as devidas providencias.
Segundo o vereador Ulisses, que falou que rasga o seu certificado de vereador se à madeira voltar, por que a madeira que tem no pátio da serraria ele falou que não dá nada. Vereador saiba que a madeira tem que voltar porque foi doada pelo IBAMA para benefícios da comunidade, ela foi vendida e tem que ser preso a pessoa que comprou quem vendeu e que mandou vender.
Não pense que alguém ou a população esquecerá-se da venda dessa madeira, e o G4 colocará quente e todos serão punidos conforme exista lei para pessoas que lesam o município.
Reações:

0 comentários: