quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Cesar Pela conta a PC como tudo aconteceu no assalto frustrado na comunidade de Creporizinho.

De acordo com o depoimento do piloto de avião Cesar Pena Fernandes, 62 anos, residente em Santarém, Pará, proprietário da empresa Arizona Taxi Aéreo, decolou hoje (12),  por volta das 8h30 da pista São José em Santarém com destino à Mineração Maney, em voo fretado,  pelo proprietário da empresa mineradora.

No depoimento prestado ao delegado de Polícia Civil Lucivelton Ferreira, Pena disse que quando pousou na pista da mineradora por volta de 9h50, havia uma forte chuva e enquanto esperava a chuva aliviar ainda dentro da aeronave, quatros homens fortemente armados apareceram de repente anunciando o assalto rendendo os ocupantes de uma caminhonete que fora buscar os passageiros e perguntando onde se encontrava cerca de 25 kg de ouro, na abordagem um dos assaltantes disparou um tiro acertando no pescoço de um senhor de prenome Sancler.
Os assaltante usando de violência levou o piloto, o proprietário da mineradora e mais 3 pessoas para o escritório da empresa. No interior do escritório deram rajadas nas paredes, computadores e queriam saber onde ficava o cofre. No depoimento, Pena disse que o gerente da mineradora abriu cofre mostrando aos assaltantes que não havia ouro. Em seguida o grupo foi até o moinho e coletou uma pequena quantidade de ouro que estava em um tecido. 
Segundo Pena, um dos assaltantes perguntou quem era o piloto da aeronave. “Eu me identifiquei e eles me obrigaram a entrar no avião e decolar”, disse, acrescentando que um dos assaltantes lhe passou um papel onde estava anotada a latitude e longitude da pista do km 180 da rodovia transamazônica, local onde, segundo os bandidos havia um veículo esperando pelo grupo.
Durante o voo os assaltantes que estavam com capuz, dois usavam coletes pretos a prova de balas sem identificação, todos com camisas de malha mangas longas, 3 vestiam calça jeans, um com calça estilo social. Demonstrando calma e muita experiência adquirida em 20 anos de voo na região, Pena passou observou que eles tinham 3 armas longas tipo fuzil, uma escopeta cano duplo e dois revolveres.
Pena em seu depoimento disse que argumentou com os assaltantes que sua aeronave não tinha combustível suficiente para chegar até o km 180 e que a única saída seria pousar em Jacareacanga. “Com muita conversa eles aceitaram pousar no aeroporto de Jacareacanga, mas me ameaçaram dizendo que se houvesse polícia eles me matariam. Eles se dirigiam entre si sempre se chamando de ‘cara’ e eles comentaram que iriam matar o informante, pois o mesmo havia falado que a aeronave iria buscar 25 kg de ouro na mineradora”, informou Pena, acrescentado que após pousar a aeronave de prefixo PR-LAX na cabeceira da pista os bandidos desceram e se embrenharam na mata.
A polícia civil e militar estiveram vistoriando a aeronave e encontraram uma sacola do Supermercado Duvale de Itaituba, estojo para cartucho de pistola automática, o papel escrito com as coordenadas da pista do Km 180 e uma flanela vermelha que segundo o Delegado de Polícia Civil Lucivelton Ferreira todo o material será encaminhado à perícia juntado nos autos. 
A policia civil juntamente com homens da Força Nacional e homens do Comando de Missões Especiais da Polícia Militar estão fazendo buscas na mata em redor da cidade e Jacareacanga. Segundo o Delegado Lucivelton devido o armamento pesado com os bandidos portam, eles podem tentar tomar de assalto algum veículo na Transamazônica e empreender fuga. “As policias em conjunto estão montando barreiras na rodovia e fazendo buscas no em torno da sede do município. Uma coisa é certa, eles não estão longe é questão de tempo para eles serem presos”, disse o Delegado.
Fonte: Junior Ribeiro e Jornalista Nonato Silva de Jacareacanga-
 

BANDIDOS POUSARAM E EMPREENDERAM FUGA EM JACAREACANGA

Assalto seguido de seqüestro de aeronave no garimpo Creporizinho

Imagem Ilustrativa
Informações recebidas, agora há pouco diretamente do Comando de Policiamento Regional (CPR-X), da PM, dão conta de que aconteceu, pela parte da manhã desta quinta-feira (12) um grande assalto a uma compra de ouro no garimpo Creporizinho.

Quatro homens fortemente armados fizeram o assalto e se dirigiram ao aeroporto, onde estava o avião do comandante Pena, que conversava com dois homens: o co-piloto e um outro, identificado pelo pré-nome Cláudio. Os assaltantes chegaram de surpresa e renderam o comandante, além de balearem os dois homens que conversavam com ele. Os homens foram feridos, mas estão fora de risco. Somente Cláudio teve que ser removido para Santarém para extrair o projétil alojado em seu corpo.
 Ao ser informado do assalto, o coronel Santiago Gibson, comandante do CPR-X, acionou todos os pontos de possível pouso, já que o avião se deslocava em direção a Jacareacanga. O grupamento de policiais da Ronda Tática Metropolitana (Rotam), que está naquele município, se preparou no aeroporto e presenciou o pouso do avião, que foi imediatamente abordado. 
Os assaltantes conseguiram sair da aeronave antes de serem agarrados e se embrenharam na mata. Um grupo de busca e captura já foi montado e está no encalço da quadrilha, que também conseguiu levar o ouro roubado. O comandante Pena foi resgatado sem ferimentos. A aeronave também não sofreu avarias. 
Rua onde aconteceu o assalto
Pista do crepurizinho
Fonte: Tapajós em Foco
________Remendo RP
Título RP
A policia de Jacareacanga está no encalço dos bandidos  que sequestraram  a aeronave, obrigaram o pouso em Jacareacanga e antes de serem abordados embrenharam-se nas matas levando o produto do roubo. A dificuldade principal para a policia são as precipitações de fortes chuvas  na região que dificulta o trabalho de caça aos bandidos.
A policia prudentemente isolou a área do aeródromo municipal retirando algumas famílias que se estabelecem na estrada de acesso à Rod Transamazônica para que os bandidos que já são considerados de altíssima periculosidade não façam refens em rota de fuga.
Alem das fortes chuvas na região que dificultam o trabalho do aparato policial, outro fator que concorre contra o trabalho policial  é a densa região florestal da Reserva Indígena Sai Cinza dos índios Munduruku cuja, é geminada com a área do Aeroporto, e que deve ser facilmente alcançada pelos bandidos, dificultando por sua situação geográfica, o trabalho policial.
Comentários dão conta que um dos  bandidos teria sido abatido em confronto com a força policial, noticia essa que ainda não se confirmou.  

Reações:

0 comentários: