domingo, 13 de outubro de 2013

Naufrágio após Círio de Macapá provoca doze mortes

Naufrágio deixa ao menos seis mortos no Amapá

Acidente aconteceu em barco que participava de procissão fluvial realizada entre Santana e Macapá, no Amapá

Naufrágio deixa ao menos sete mortos durante o Círio Fluvial de Macapá, realizado em homenagem à Virgem de Nazaré, padroeira da Amazônia (Capitão Tarick/PM Amapá)
Pelo menos doze pessoas morrearam após o naufrágio de um barco que participava do Círio Fluvial de Macapá, no Amapá. Entre os mortos, está o comandante do barco, cujo corpo foi resgatado pelos Bombeiros. Seis pessoas ainda estão desaparecidas, três crianças e três mulheres. As informações são do Corpo de Bombeiros de Macapá.
A embarcação de pequeno porte, alugada para o Sindicato dos Servidores Públicos, saiu da cidade de Santana por volta das 7h30. Ela participava do Círio Fluvial, procissão realizada por cerca de 50 embarcações em homenagem à Virgem de Nazaré, padroeira da Amazônia, saindo de Santana até Macapá.
O acidente teria acontecido por volta das 10h30, após a chegada no destino. De acordo com sobreviventes, o barco bateu num barranco e virou. "Foi questão de segundos", afirmou um deles.
"Não sabemos como o acidente aconteceu, vamos ter que apurar", afirmou Carlos Neves, capitão dos Portos no Amapá, representante da autoridade marítima estadual. Neves disse que foi feita uma vistoria dos barcos na saída para a procissão.
Acidente — Alguns sobreviventes afirmam que a embarcação estava superlotada, mas Carlos Neves diz que ela transportava 40 pessoas, sua capacidade máxima. "Era uma embarcação nova, construída em 2010, e recentemente fiscalizada pela Capitania. O que aconteceu é um infortúnio", disse.
"O naufrágio aconteceu em um trecho raso, e as condições climáticas eram boas, não tinha vento", contou. A profundidade do rio no local varia de 1,5 metro e 5 metros, dependendo do nível da maré. No horário do acidente, a maré estava cheia. Pela tarde, metade da embarcação permanecia dentro do rio, e a outra parte, para fora.
O capitão dos Portos no Amapá estimou que o naufrágio deve ter durado menos de cinco minutos, e disse que a maioria das pessoas foi resgatada por embarcações que estavam nas proximidades. "Não vimos o que aconteceu, porque na volta da procissão não existe um deslocamento ordenado dos barcos, cada um vai para uma direção", afirmou.
Neves acrescentou que o corpo do comandante foi encontrado na praça de máquinas da embarcação, compartimento onde estão instaladas as máquinas de propulsão e seus auxiliares. Segundo ele, o comandante não deveria estar lá, mas sim à frente da embarcação, orientando a sua direção. O inquérito que será realizado pela Capitania dos Portos, apontando as causas do acidente, tem até 90 dias para ser concluído.
Luto — Em respeito a dor das pessoas que perderam parentes no naufrágio, a Diocese de Macapá também está orientando os fiéis a não soltarem fogos nas procissões de trasladação da imagem da Virgem de Nazaré — que acontece à noite — nem na procissão do Círio marcada para este domingo. O prefeito de Macapá, Clécio Luís (PSOL), decretou luto oficial de três dias na cidade.
(Com agência Estadão Conteúdo)

Nenhum comentário: