quinta-feira, 17 de julho de 2014

Avião com 295 passageiros cai na Ucrânia

Um avião comercial da Malásia com 295 pessoas caiu no leste da Ucrânia nesta quinta-feira (17), próximo a fronteira com a Rússia. Segundo um assessor do ministro do Interior da Ucrânia, a aeronave foi derrubada por um míssil lançado a partir do solo. A informação, porém, ainda não foi confirmada oficialmente.


Anton Gerashenko confirmou que 280 passageiros e 15 membros da tripulação morreram.

O confronto entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas na fronteira já provocou a queda de aviões militares nesta semana.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, declarou "que não exclui" a possibilidade de o avião tenha sido abatido. Em nota, a presidência informa que o avião desapareceu por volta de 16h20 do horário local (10h, horário de Brasília).

"Este é o terceiro caso trágico nos últimos dias, após os aviões An-26 e Su-25 das forças armadas ucranianas serem derrubados a partir do território da Rússia", declarou Poroshenko, citado em um comunicado da presidência.

"Nós não excluímos a possibilidade de este avião ter sido abatido e ressaltamos que as forças armadas ucranianas não efetuaram disparos que possam ter atingido alvos no ar", acrescentou, antes de apresentar suas condolências às famílias das vítimas.

O líder separatista Aleksander Borodai acusou forças ucranianas de terem abatido o avião.

O governo separatista de Donetsk, não reconhecido pela Ucrânia, diz que o avião caiu próximo a cidade de Grabovo.

A Malaysia Airlines confirma que perdeu contato com o voo MH17 e que a última posição da aeronave era na Ucrânia, segundo divulgou no Twitter.

O avião ia de Amsterdam para Kuala Lumpur, capital da Malásia, e caiu de uma altura de 10 quilômetros.


Nesta quinta, a Ucrânia acusou a Rússia de derrubar um de seus aviões de guerra, o que obrigou o piloto a ejetar, segundo porta-voz do Conselho de Segurança Nacional e Defesa ucraniano. A Rússia negou que tenha sido responsável.

Na segunda, outro avião militar ucraniano foi derrubado, causando a morte de dois tripulantes, enquanto quatro foram resgatados e outros dois aprisionados pelos separatistas.

MALAYSIA AIRLINES

Em março, outro avião da Malaysia Airlines desapareceu quando ia de Kuala Lumpur a Pequim com 239 pessoas a bordo.

A aeronave desapareceu das telas dos controladores aéreos 40 minutos depois da decolagem e mudou sua trajetória prevista, iniciando uma grande operação de busca no oceano Índico.

Até hoje, os destroços do voo MH370 não foram encontrados.

As autoridades australianas, responsáveis pelas buscas, estudam a possibilidade de que uma falta de oxigênio tenha causado a morte da tripulação e dos passageiros do avião, que supostamente voou com o piloto automático até cair no sul do Oceano Índico, segundo disseram no mês passado. (FSP)
Reações:

0 comentários: