Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Profissão Repórter-Após reportagem População se revolta com Rede Globo em Novo Progresso

Mostrou outra realidade sem cerceamento de defesa, Rede Globo massacra garimpeiros e madeireiros com reportagem exibida nesta terça-feira (07/07) no programa Profissão Repórter.
Até da para aceitar na questão desmatamento, mesmo assim maltrata, inventa e aumenta, este crime já está sendo punido com rigor da lei e alguns dos culpados estão na cadeia, outros permanecem no anonimato , mas a população toda 30 mil habitantes está pagando pelo erro – se for realmente erro de alguns.
Novo Progresso foi hostilizado pela Rede Globo – Desta forma que internautas em grupos locais de WhatsApp e na rede social Facebook comentam sobre reportagem exibida nesta terça-feira (07) pela Rede Globo de Televisão. Humilhante, constrangedora, ridícula, assim a maioria dos participantes indignados com a reportagem que para eles somente mostra um lado da realidade, a Rede Globo não ouviu outro lado, lamentam.
Sem ouvir outro lado.
A repórter Mayara Teixeira do programa Profissão Repórter, mostrou outra realidade e penalizou o pobre e hostilizou os garimpeiros e madeireiros.
Fácil de entender, se a situação está assim no clandestino é porque a própria instituição (governo) obriga a trabalhar desta forma, escondido – tipo como bandido.
Os garimpos existem na região desde antes da rodovia ser conclusa, garimpeiros se espalharam pela BR-163 em busca do ouro, muitos morreram no caminho, outros a onça comeu e a doença levou (malária).
Hoje com a tecnologia poucos ainda insistem em retornar ao local onde sobrou uma merreca, com aceso e com apoio da máquina, mas o sofrimento muda muito pouco, em vida sub-humana trabalham no dia dia para manter a família, muitos nem isto conseguem.
A rede Globo de televisão garantiu que tudo seria mostrado de maneira imparcial, mentiram.
As coletas de entrevistas não foram postadas, a situação degradante da população que aqui vive também foi esquecida pelos repórteres que parecem estarem obcecados pelos fiscais ambientais e suas proezas na Amazônia. Com uso do dinheiro dos contribuintes, abusam da autoridade e impõe os trabalhadores em constrangimento, fácil basta rever a reportagem.
Andar 20 quilômetros dentro da mata até chegar no recurso foi o castigo que impuseram para os garimpeiros, queimar os equipamentos foi a punição aos proprietários de garimpos e de máquinas que extraem a madeira irregular, para eles, sorrir com a desgraça alheia é o mérito de sua ações. Enquanto isto em toda região as madeireiras continuam a industrializar e os garimpos continuam a funcionar.
OUTRO LADO
Novo Progresso , esta distante 1.085 quilômetros de Cuiabá Capital do estado do Mato Grosso, a maioria que aqui chegou foi por convite do próprio governo que trouxe brasileiros e brasileiras para não integrar a Amazônia, com oferta de terras em abundância, gaúchos, paranaenses, catarinenses, paulistas, mineiros e outros chegaram, em época que não existia remédio para malária e hepatite, mas o povo chegou e foi abandonado pelo governo, acreditaram na força da natureza e aqui ficaram, os sobreviventes transformaram um povoado em uma cidade , sem estradas, ruas , prefeitura, energia elétrica, saúde, lazer, indústria e apoio do governo.
Passado seus trinta e poucos anos o governo vem como se fosse o sistema Hitler e impõe medidas, simplesmente combate e não traz soluções.
Por Exemplo: A reportagem não procurou o INCRA para mostrar como anda os procedimentos de regularização fundiária das propriedades, porquê?
Simplesmente não existe INCRA em Novo Progresso, a superintendência regional está a 800 quilômetros na cidade de Santarém em funcionamento precário.
O primeiro documento exigido pelos órgãos ambientais para legalizar um lavra garimpeira é documento de terra, ninguém tem, os poucos que receberam uma escritura ainda tem que pagar valor absurdo pela terra (posse, e se conta aos dedos os possuidores de títulos.
Governo aqui não existe o prefeito local foi afastado e cassado por corrupção, o que lá está é envolvido com desmatamento ilegal, e o ex-secretário de meio ambiente a sua família  foi multada por extração ilegal de ouro , que culpa o resto da população tem?
Este lado do governo que não da condição para legalizar o madeireiro, garimpeiro e desmate legal, eles simplesmente ignoraram, colocaram o povo progressense como verdadeiros bandidos.
Hoje a população do município tem todos os motivos para não gostar da TV Globo, que há muitos anos persegue Novo Progresso , difama de forma imparcial e deixa o povo sem defesa.
Leva acreditar que o Rei do desmatamento o empresário Ezequiel Castanha, possa ser mais uma das vítimas da manipulação dos ambientalistas com apoio da Globo, sempre contra o desenvolvimento da Amazônia, seja sustentável ou não o povo é o macaco, eles sempre preferem o macaco, enganando o resto da população brasileira de acordo com seus interesses financeiros ou políticos.
Quanto a opinião da senhora sobre o IBAMA , foi pessoal dela, os fiscais ambientais do Ibama, Icmbio e Força Nacional , já se misturaram com a população e vivem em plena harmonia, nunca houve relatos de abusos por partes.

A  população é cada vez maior contra a TV Globo. Fica pergunta – o restante das entrevistas vai divulgar ou não?
Reações:

0 comentários: