Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Algumas das mudanças da mini reforma política

A mini reforma política aprovada no final do ano passado alterou em vários pontos a lei que vai regulamentar as próximas eleições. O prazo de filiação partidária caiu de um ano para seis meses, o tempo de duração da campanha eleitoral também foi reduzido pela metade e o horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão passa de quarenta e cinco para trinta e cinco dias.
Essas são algumas das principais mudanças que ocorrerão nas eleições municipais deste ano. Mas, o que o eleitor itaitubense está mais interessado em saber nesse momento é se teremos ou não o horário eleitoral gratuito na televisão e a lógica do bom senso indica que se nas três últimas eleições os candidatos puderam apresentar suas propostas na televisão, entende-se, portanto que este passou a ser um direito adquirido pelo eleitor, saber o que pensam os seus possíveis governantes, e assim formar a convicção do seu voto baseada na exposição das ideias dos candidatos e, como o direito é antes de tudo a lógica do bom senso, o que se espera é que essa conquista do eleitor itaitubense seja respeitada pelos candidatos e também pelas autoridades que irão conduzir o pleito eleitoral.
Esse é o meu ponto vista sobre essa polêmica que começa a surgir nos bastidores da política e creio que quem for contrário à manutenção  do horário eleitoral na televisão, incorrerá no cerceamento do direito de acesso a uma  informação que é de extremo interesse público e o direito à informação está previsto na nossa constituição.

Jornalista Weliton Lima, comentário veiculado no telejornal Focalizando de quinta-feira, 14/01/2015
Reações:

0 comentários: