sexta-feira, 18 de março de 2016

LULA VAI À PAULISTA. HAVERÁ CONFRONTOS?

O ex-presidente e ministro da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva, confirmou que estará presente na manifestação em defesa da democracia e contra o golpe, que acontecerá nesta tarde na Avenida Paulista; são esperadas cerca de 150 mil pessoas no ato, que se inicia a partir das 16h no vão do Masp; mesmo com as ponderações de aliados sobre eventuais confrontos com grupos que pró-impeachment, Lula avalia que o ato é definidor neste momento político; mais cedo, o presidente estadual do PT, Emídio de Souza, afirmou que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) seria o responsável por confrontos, caso os grupos de direita permanecessem na Paulista; "Ele assumirá todos os riscos. Nós não recuaremos", avisou; o grupo foi retirado da via pela Tropa de Choque da PM, que usou bombas de gás e caminhão com canhão de água para dispersar os manifestantes
O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, confirmou há pouco que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, atual ministro da Casa Civil, participará da manifestação em defesa da democracia e contra o golpe, que acontecerá na Avenida Paulista a partir das 16 horas. A concentração da manifestação será no vão do Masp.
Após consultar petistas e integrantes de movimentos sociais, Lula avalia que o ato é definidor neste momento político. Aliados estão, no entanto, apreensivos quanto ao risco de confrontos. "Está prevista a presença de Lula", disse o presidente Vagner Freitas.
Mais cedo, o presidente estadual do PT, Emídio de Souza, afirmou que "os manifestantes da direita permanecerem não avenida Paulista é um escolha do governador Geraldo Alckmin, ele assumirá todos os riscos. Nós não recuaremos." Ainda nesta manhã, a Tropa de Choque da Polícia Militar retirou os manifestantes pró-impeachment que acampavam na Paulista.             
Por volta das 11h35, a avenida foi desocupada. Policiais usaram bombas de gás e caminhão com canhão de água para dispersar os manifestantes, parte dos quais, acampados no local desde quarta-feira 16.

A Frente Brasil Popular convocou atos em mais de 40 cidades. No Rio de Janeiro, artistas como Beth Carvalho, Osmar Prado e Silvia Buarque confirmaram presença. 
Reações:

0 comentários: