sexta-feira, 22 de abril de 2016

GTO aborda carro suspeito de ajudar na fuga de assaltante de Rurópolis

Militares do Grupamento Tático Operacional (GTO) do 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM) de Santarém, oeste do Pará, abordaram um carro na manhã desta quarta-feira (20), no bairro Cambuquira, na rodovia federal BR-163, próximo a serra do Piquiatuba, após denúncias de que o motorista era suspeito de dar apoio na fuga de um dos assaltantes do Banco da Amazônia, que ocorreu em Rurópolis no dia 11 de abril. A denúncia foi de que o criminoso estaria vindo para Santarém.
De acordo com o sargento do GTO, Samuel Siqueira, a operação para abordar o veículo começou após informação repassada pelo comando da PM que o motorista tinha furado as barreiras montadas às margens da rodovia, no perímetro entre Rurópolis e Santarém.
De acordo com Siqueira, após a abordagem e fiscalização no veículo, constatou-se que a informação do suposto apoio a um dos assaltantes não procedia. “O condutor vinha de Altamira para Santarém trazendo mercadorias. Ele alega que não conhece ninguém e que estava apenas trabalhando, então nós fizemos a abordagem, anotamos os dados e liberamos para que ele siga em frente”, relatou.
O motorista do veículo, Lércio Alves da Rocha, esclareceu em entrevista a TV Tapajós que não furou as barreiras montadas às margens da rodovia porque ele não as viu, mas estava ciente que a PM fiscaliza a área. “Eu dormi em Placas na noite passada justamente porque eu sabia da fiscalização e não queria me arriscar. Eu não encontrei nenhuma barreira na estrada, se eu tivesse encontrado eu tinha parado porque não tem nada errado, só estou trabalhando”, explicou.
Buscas aos assaltantes continuam
O Grupamento Tático Operacional (GTO) de Santarém, no oeste do Pará, mantém um efetivo de pelo menos 60 homens que dão apoio nas buscas pelos assaltantes do Banco da Amazônia, em Rurópolis. O cerco policial aos suspeitos completou nove dias nesta quarta-feira (20). Dos oito suspeitos de integrar o grupo, quatro morreram durante o confronto com a polícia. Até esta tarde, outros quatro criminosos ainda não haviam sido localizados.

As buscas aos assaltantes estão concentradas na zona rural da cidade, em trechos conhecidos como “travessões”. Um helicóptero da Polícia Militar também ajuda nas buscas. A Polícia Militar com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) montou barreiras em duas principais rodovias do estado, uma na Santarém-Cuiabá (BR-163) e outra na Santarém Curuá-Una (PA-370), que liga Santarém à hidrelétrica de Curuá-Uma. Há duas barreiras montadas em pontos estratégicos para evitar a fuga dos assaltantes.

O assalto

Um grupo armado invadiu uma agência do Banco da Amazônia por volta das 10h do dia 11 de abril e após deixar o banco em dois veículos, decidiu levar o gerente e outras duas pessoas como reféns. Na fuga, em direção à cidade de Itaituba, os assaltantes trocaram tiros com a polícia e foram surpreendidos por policiais, alterando a rota de fuga para o município de Santarém.
Os criminosos seguiram por uma estrada vicinal e liberaram as vítimas. Um dos carros usados na fuga foi incendiado e o outro veículo foi encontrado escondido em uma área de mata. Segundo a polícia, militares do COE chegaram a trocar tiros com os assaltantes em um ponto da estrada, que possibilita saídas para cidades como Trairão e Placas.

Do G1 Santarém, com informações da TV Tapajós
Reações:

0 comentários: