Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Assaltantes entraram em casa de candidato a prefeito de Mojuí dos Campos e fizeram família refém

Após pouco mais de uma hora de negociações, a Polícia Militar conseguiu fazer a detenção dos dois suspeitos de assaltarem a casa do candidato a prefeito do município do Mojuí dos Campos, no oeste do Pará, ocorrido no início da manhã deste domingo (25) no centro da cidade. Um jovem de 22 anos e um adolescente de 16 invadiram a casa de Raimundo Dadá por volta de 7h. Além do candidato, os assaltantes fizeram refém a esposa, filhos e uma funcionária dele.
A casa fica nos altos de um estabelecimento comercial.
A Polícia Civil já abriu um inquérito para apurar a forma de como se deu o assalto e se o crime tem envolvimento com a política. O jovem deve prestar depoimento e encaminhado para a central de triagem da Penitenciária Sílvio Hall de Moura. O adolescente será ouvido e o caso encaminhado ao Mistério Público, que vai ou não acatar o pedido de internação provisória até a conclusão do inquérito. O trabalho de investigação deve continuar, pois existe a suspeita de um terceiro envolvido no caso.
José Sebastião da Costa, conhecido como Bazinho, foi um dos reféns e relatou detalhes do assalto. “Nós estávamos lá e tinha três homens arrodeando nós, até então ninguém conhecia. Quando a menina que trabalha para o seu Dadá entrou, subiu a escada, um acompanhou ela. Depois entrou um amigo e eu. Outro acompanhou meu amigo e já abordou ele com a arma. Eu ia por meu celular para carregar, senti uma tapa e quando me virei ele já estava com o revolver em cima de mim”.
Após serem abordados, as vítimas foram levadas para um quarto da casa, foram trancadas e tiveram as mãos amarradas. Ainda segundo Bazinho, os assaltantes diziam que tinham ido pegar dinheiro. “A conversa deles era buscar dinheiro dentro da casa, direto a conversa deles, que tinha dinheiro dentro desse cofre. Aí a menina disse que só que tinha a senha do cofre o filho do seu Dadá. Ainda deram um tiro lá, porque eles diziam que iam matar duas pessoas”, conta.


A ação dos assaltantes durou quase três horas e meia. A área ao entorno da casa foi cercada por policiais militares e ganhou reforço com policiais de Santarém. “Chegando lá eles liberaram primeiro uma das vítimas e avançando das negociações, cedemos a eles dois coletes a prova de bala e eles passaram para gente duas armas. Com a chegada da imprensa, em uma situação com bastante equilíbrio, eles liberaram a segunda vítima e se entregaram”, informou o comandante da PM, coronel André Carlos Oliveira.
Reações:

0 comentários: