quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Voo inaugural abre rota Belém-Redenção e aquece economia da região

Com a participação de secretários de Estado, prefeitos, empresários e parlamentares paraenses, foi realizado este sábado (5) o vôo inaugural da nova rota aérea comercial ligando Belém a Redenção, no sudeste paraense, a ser operada,a partir deste mês,pela empresa Piquiatuba Transportes Aéreos.
Feito a bordo de uma aeronave EMB-120 Brasília, o primeiro voo comercial Belém-Redencão foi especial: marcou a abertura da quarta nova linha de aviação regional criada, desde outubro, com o apoio do programa Voe Pará - iniciativa do Governo do Estado que vem fortalecendo e ampliando a malha aérea regional paraense, através de incentivos fiscais, como meta estratégica do programa de desenvolvimento sustentável Pará 2030.
A nova rota aérea a ser aberta pela empresa Piquiatuba, a partir do dia 21 deste mês, cobrirá regularmente a rota Belém- Redenção em duas horas e quinze minutos, sempre com escalas em Marabá, e com voos realizados sempre às segundas-feiras e sábados, às 7h (partindo de Belém) e às 12h45 (partidas de Redenção). A venda de passagens para o trecho Belém-Redenção, com escalas em Marabá, já está aberta ao público no site da empresa (www.voepiquiatuba.com.br).
O voo inaugural da empresa Piquiatuba na rota Belém-Redenção marca a retomada da aviação comercial no trecho, que há tempos já foi atendido por outras empresas, incluindo a extinta Transportes Aéreos da Bacia Amazônica (TABA), mas que até então estava sem vôos regulares comerciais.
O avião de fabricação nacional EMB-120 Brasília, da empresa Embraer, é um modelo turboélice pressurizado de alta performance e tem capacidade para até 30 passageiros. A empresa Piquiatuba Transportes Aéreos, por sua vez, já possui onze anos de atuação e opera com 20 aeronaves no Norte e Nordeste do Brasil.
Antes de iniciar essa nova etapa de operações, com voos para o sul e sudeste paraenses, já tinha uma forte atuação no oeste do estado, interligando Belém a Altamira, Santarém, Itaituba e Novo Progresso. Em operação desde 2005, a empresa também mantém voos no Piauí, ligando Teresina a Parnaíba, Picos e São Raimundo Nonato.
Conquista - Após uma breve cerimônia, que reuniu os 29 passageiros e outros convidados no hangar seis do Aeroporto Internacional de Belém, o voo inaugural da empresa Piquiatuba partiu às 8h53. O voo-teste foi direto para o destino, sem escala em Marabá, e exatamente às 10h36 pousou em Redenção.
Além do vice-governador do Estado, Zequinha Marinho, do presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Márcio Miranda, e do chefe da Casa Civil do Estado, José Megale, estavam ainda a bordo prefeitos do sul e sudeste do Pará, deputados estaduais e federais e os secretários Adnan Demachki, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Kleber Menezes, da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), e Adenauer Góes, titular da Secretaria de Estado de Turismo (Setur).
“Para o Pará, este é um voo que marca a história. Mas também é algo que não surgiu por acaso. É fruto de muito trabalho de um governo que, ainda que pesem as dificuldades de comunicação e distâncias, se preocupa muito em escutar as necessidades e tenta de alguma forma atender demandas das mais diversas regiões do Pará, de seu povo e de seus representantes. O Voe Pará é isso”, declarou o vice-governador Zequinha Marinho.
Marinho ressaltou a importância da renúncia fiscal do Estado, frente à cobrança de ICMS sobre o combustível, para que novas linhas aéreas regionais ganhem fôlego no Pará.  “Só o combustível representa 40% dos custos operacionais da aviação. Então, para esse governo, entendemos que fazer isso não é um custo para o Pará. É investimento, para que o Estado possa avançar”, ressaltou o vice-governador durante um encontro, realizado após o voo, já em Redenção, na sede do Sindicato Patronal de Comércio de Redenção e Região (Sindcomércio).
Após uma rápida e concorrida recepção realizada na chegada do aeroporto de Redenção, os integrantes do voo inaugural da nova linha da empresa Piquiatuba participaram de uma reunião organizada pelo Governo do Pará com empresários, lideranças políticas, parlamentares e representantes diversos da sociedade civil. O encontro, com o objetivo de apresentar o plano estratégico Pará 2030, lotou o auditório Protásio Borges Júnior, da sede do Sindcomércio.
“Esse momento é especial para o parlamento do Pará. É resultado de um tema palpitante, e do qual tratamos em vários momentos, com secretários do governo do Estado, parlamentares, representações políticas e empresários. Todos ganhamos, seja o Executivo municipal, sejam o governo, deputados estaduais e federais: o Pará sai ganhando com essa união de esforços. No momento de crise, nós não temos outra saída a não ser nos unir. A união cria oportunidades”,  destacou o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Márcio Miranda.
"Redenção viveu um sábado de conquistas", reiterou o prefeito Carlo Iave Furtado (PMDB), que recentemente foi reconduzido ao cargo - vice do ex-prefeito Vanderlei Coimbra Noleto, morto em acidente de carro em dezembro de 2015, ele assumiu a gestão no início de 2016 e foi reeleito no último pleito municipal.
Com 81,6 mil habitantes, Redenção fica a cerca de mil quilômetros da capital do Estado. Por estradas, o acesso ao município pode levar mais de 12 horas. Isso faz com que o fortalecimento de rotas de aviação, que liguem esse e outros municípios do sul e sudeste do Pará a Belém e a outras capitais vizinhas, como Palmas (TO) e Goiânia (GO), seja uma demanda crescente.
Pará 2030 - “Foi um dia muito produtivo”, avaliou o titular da Sedeme, Adnan Demachki, ao comentar a programação de abertura do voo Belém-Redenção. No encontro, realizado na sede do Sindicomércio em Redenção, foi feita uma apresentação da sua pasta sobre o programa de desenvolvimento sustentável Pará 2030, do Governo do Estado - voltada especialmente para os empresários e representantes políticos e da sociedade civil da Região de Integração do Araguaia.
“O Voe Pará é parte importante do projeto estratégico Pará 2030, que é um plano regionalizado que norteará nossa economia nos próximos 15 anos. A renúncia fiscal de dez por cento do ICMS cobrado sobre combustíveis para a aviação civil regional no Estado fortalecerá muito a atividade dessas pequenas companhias, para que efetivamente possam ter condições de estar no mercado e promover a integração do Pará ampliando nossa malha aérea. Há anos Redenção não tinha um voo regular”, pontou secretário.
O titular da Sedeme ressaltou no encontro alguns dos mais importantes pontos do planejamento estratégico para o Estado, como a necessidade de aumentar índices de produtividade em vários setores, elevar taxas de crescimento econômico a cada ano e ainda elevar a 70% o índice de atividades econômicas que agregam valor a produtos gerados pelo Pará – hoje essa relação é de 81% da economia voltada para as atividades meramente extrativistas, contra 19% de iniciativas que agregam maior valor à cadeia produtiva.
Na visão do empresário Edson Silva, presidente da empresa aérea Piquiatuba, o Voe Pará foi oportuno não apenas para seu negócio: o incentivo beneficia principalmente população da região de Redenção e do sul do Pará, que se via obrigada a vencer distâncias de até sete horas de carro para se deslocar até as cidades mais próximas, como Palmas (TO) ou Marabá.
“Essa foi uma das grandes demandas da Assembleia Legislativa Itinerante, realizada em Redenção, e o governo do Estado acreditou nesse projeto. O projeto de lei que abate a cobrança de dez por cento sobre o ICMS dos combustíveis na aviação é uma grande ajuda para começar esse projeto sem medo de que ele seja mal-sucedido. O cenário é de expansão e já olhamos para municípios da Calha Norte, Marajó e Tucuruí”, planeja o empresário.
Voe Pará - “O mais importante é o recado que aqui parece que ficou muito bem absorvido por Redenção e pela região: que passado o momento deste protagonismo do empreendedor e da facilitação institucional dos poderes constituídos, é a população quem tem que se apoderar desse meio de transporte e desses avanços, para que eles possam se consolidar e ampliar em oferta de voos e prestação de serviços”, avaliou o secretário Kleber Menezes, da Setran.
Menezes destacou ainda, durante o encontro com empresários e representantes políticos de Redenção, que outros investimentos em transportes do Estado ainda se aliam a esse esforço pela malha aérea paraense. “O governo de Simão Jatene já soma investimentos de R$ 120 milhões apenas em recuperação e asfaltamento de estradas e rodovias na Região de Integração do Araguaia. É o equivalente a 35% do total do orçamento dos transportes, voltados totalmente para essa região”.
Desde o dia 3 de outubro sucessivas aberturas de rotas aéreas regionais vêm sendo feitas através do apoio do programa Voa Pará, do governo do Estado. Quatro novos voos já foram oferecidos ou retomados para Soure, Breves (na Ilha do Marajó), Paragominas e Redenção - dentro de um programa que já prevê contemplar o acesso a um total de 13 novos destinos ou rotas que são cruciais para a integração regional e também para o fortalecimento do turismo paraense.
Entre as ações definidas pelo governo do Pará no plano estratégico de desenvolvimento econômico Pará 2030, o Voe Pará oferece incentivos fiscais à aviação regional, ajudando empresas a manterem suas linhas aéreas atuais e também a criarem novos voos para o interior do estado. O programa inicialmente atende as empresas Azul, TWO, Pema, MAP e Piquiatuba. A meta geral é firmar e fortalecer pelo menos 13 rotas de aviação regional.
Alguns desses novos voos partem de Belém para cidades que já possuem linhas regulares, como Marabá. Ao todo, a previsão é de que seis novas linhas atenderão municípios que não dispõem de transporte aéreo regular de passageiros, como Soure e Breves, no Arquipélago do Marajó, Ourilândia do Norte e Redenção, no sul do Pará, e também Tucuruí, no sudeste, e Paragominas, no nordeste do estado.
Novos Voos Abertos
Programa Voa Pará
REDENÇÃO
- A partir de 21/11, voos segundas e sábados, com 2h15 de duração;
- R$ 400 a R$ 500 (trecho Belém-Redenção) e R$ 390 (Marabá-Redenção).
BELÉM-REDENÇÃO - Decolagem: 7h; Pouso: 9h15
REDENÇÃO-BELÉM - Decolagem: 12h45; Pouso: 15h05
Fonte: Piquiatuba
www.voepiquiatuba.com.br
SOURE (MARAJÓ)
- A partir de 3/10, voos segundas e sextas-feiras, com 20 minutos de duração;
- R$ 165 (trecho) e R$ 285 (ida e volta).
BELÉM-SOURE - Decolagem: 11h; Pouso: 11h20
SOURE-BELÉM - Decolagem: 11h40; Pouso: 12h

BREVES (MARAJÓ)
- A partir de 4/10, voos terças e quintas-feiras, com 55 minutos de duração;
- R$ 300 (trecho) e R$ 550 (ida e volta).
BELÉM-BREVES - Decolagem: 13h; Pouso: 13h55
BREVES-BELÉM - Decolagem: 14h15; Pouso: 15h10

PARAGOMINAS
- A partir de 5/10, voos todas as quartas-feiras, com 55 minutos de duração;
- R$ 300 (trecho) e R$ 550 (ida e volta).
BELÉM-PARAGOMINAS - Decolagem: 11h; Pouso: 11h55
PARAGOMINAS-BELÉM - Decolagem: 12h15; Pouso: 13h10

Nenhum comentário: