Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

domingo, 13 de novembro de 2016

Zenaldo ainda vai enfrentar dois julgamentos



Na última sexta-feira (11), houve protestos em frente ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em Belém, enquanto, no 3º andar do prédio, juízes analisavam mandado de segurança contra a reintegração de 308 servidores demitidos da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma).
Segundo o Ministério Público, os servidores foram substituídos para contratação de cabos eleitorais a serviço da campanha à reeleição de Zenaldo Coutinho para a Prefeitura de Belém, criando o que a promotora Rosana Cordovil - autora da ação - classificou como formação de “curral eleitoral”. Ao ler seu voto, a juíza relatora do processo, Luciana Daibes, afirmou ter encontrado nos autos fortes indícios de crime eleitoral. Mas, ao final do julgamento, o TRE decidiu que a reintegração ou não dos demitidos era assunto para ser tratado na Justiça Comum, e não na esfera eleitoral.
A decisão é mais um capítulo no intricado emaranhado jurídico em que se tornou a disputa eleitoral deste ano na capital paraense e ajudou a aumentar a confusão sobre a real situação jurídica de Zenaldo. O fato é que o prefeito reeleito e seu vice, Orlando Reis, tiveram registros das candidaturas cassados pelo juiz Antônio Cláudio Cruz, da 97ª Zona Eleitoral. O motivo foi o uso da página oficial do facebook da Prefeitura de Belém para a campanha de Zenaldo, configurando uso da máquina pública.
Reações:

0 comentários: