sábado, 21 de janeiro de 2017

PM morre em dia de assassinatos em série

Mais um policial militar foi morto em confronto com criminosos na Grande Belém. A vítima foi o soldado PM Rafael da Silva Costa, de 29 anos, lotado no Batalhão de Policiamento Tático Operacional (BPOT) da Polícia Militar. Ele estava em serviço por volta das 6h40, de ontem, com outras guarnições, em busca de assaltantes armados em um veículo no Bairro da Cabanagem, em Belém. Houve troca de tiros e o militar foi atingido na cabeça. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, mas não resistiu aos ferimentos.
 De acordo com o Major Giogio Mariúba, comandante do BPOT, os policiais militares estavam atendendo a um chamado de assalto e passaram a acompanhar um veículo que estaria com os criminosos, na BR-316. As viaturas entraram na Rua Santa Maria e uma delas chocou-se com o muro de uma casa de shows. As circunstâncias do acidente ainda estão sob apuração. No Conjunto Panorama XXI, houve troca de tiros com os bandidos. “Ainda estamos levantando como tudo aconteceu, mas houve um confronto e tiros foram disparados, um dos quais atingiu o militar”, falou o oficial. 

15 ASSASSINATOS
Após a morte do soldado da PM Rafael da Silva Costa, a Região Metropolitana de Belém viveu um dia de extrema violência, com outros 15 assassinatos. O caso é muito similar à chacina ocorrida na cidade, em 2014, após o assassinato do cabo Pet. 
Deputado critica sequência de mortes
O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado Carlos Bordalo (PT), condenou a sequência de 14 mortes ocorridas ontem (até o fechamento desta edição), na Grande Belém. Para ele, trata-se de uma ação de grupos de extermínio, em resposta à morte do PM Rafael da Silva Costa. Em seguida ao assassinato do soldado, várias pessoas foram executadas em diversos bairros da cidade. “Lamento muito a morte do policial. Mas esse fato não justifica a execução indiscriminada de desconhecidos que nada tinham a ver com o que ocorreu com o PM”, disse Bordalo.
NOVA CHACINA
As mortes ocorrem pouco mais de 2 anos após a chacina de 11 pessoas em Belém. Os homicídios também se deram após a morte de um policial, o PM Antônio Marcos Figueiredo, conhecido como cabo Pet. 
À época, uma CPI concluiu que há milícias envolvendo policiais e ex-policiais que matam indiscriminadamente.
PARA ENTENDER
- A morte do PM Rafael da Silva Costa, 29 anos, está sendo investigada pela Polícia Civil.
- O enterro do PM será hoje, às 15h, em um cemitério de Marituba.
- Em fevereiro. a Comissão de Direitos Humanos da Alepa pretende cobrar a instauração de um procedimento investigativo criminal para apurar as mortes em série de ontem.

(Emily Beckman e Leidemar Oliveira/Diário do Pará)
Reações:

0 comentários: