segunda-feira, 6 de março de 2017

Alter do Chão 259 anos: berço cultural do Pará, com praias e seus atrativos

Vila com seis mil habitantes fica quase 37 km do Centro de Santarém, no PA.
Lugar foi eleito como o mais bonito do mundo pelo jornal inglês The Guardian.
A vila de Alter do Chão, em Santarém, oeste do Pará, celebra 259 anos nesta segunda-feira, seis de março. Berço cultural do estado, a vila, com apenas de seis mil habitantes, é famosa pelos seus atrativos e riquezas naturais, que encantam brasileiros e estrangeiros. Alter é a primeira entre os 10 lugares com as praias mais bonitas do Brasil, segundo o jornal inglês The Guardian. O jornal também aponta o lugar como o mais bonito do mundo com praias de água doce.

De clima equatorial, quente e úmido, Alter do Chão tem praias águas claras e areia fina e branquinha, às margens do rio Tapajós, sendo um dos principais pontos turísticos de Santarém. O local é conhecido como o ‘Caribe da Amazônia’ e está entre os roteiros de viagens, principalmente nas férias. Perfeita para relaxar, a natureza foi bem generosa com a vila, que possui um cenário paradisíaco e guarda uma beleza única. A vila foi indicada pelo Ministério do Turismo como local que vale a pena conhecer.

Alter do Chão é o lugar ideal para aproveitar o ‘verão amazônico’, que ocorre entre os meses de agosto a dezembro. O mês de setembro é a melhor época para visitar a vila, quando o volume de água diminui e formam bancos de areia, que ficam mais visível devido a vazante do rio Tapajós. A vila é destaque em jornais e revistas mundo a fora e encanta jornalistas e profissionais da comunicação. O quadro “Tô de Folga” do Jornal Hoje da Rede Globo, já exibiu reportagens especiais. (Confira abaixo uma delas)
História
Alter do Chão foi fundada em 6 de março de 1626, pelo português Pedro Teixeira. Em 6 de março de 1758, foi elevada a categoria de vila por Francisco Xavier de Mendonça Furtado, então governador da capitania do Grão-Pará, durante o Brasil Colônia. Alter foi local das missões religiosas, comandadas pelos jesuítas. Até o século XVIII, a vila era habitada majoritariamente pelos índios Borari. Desde a década de 1990 até os dias de hoje, o atual distrito aposta no turismo para alavancar a economia local.

Alter do Chão fica localizada aproximadamente 37 quilômetros do centro de Santarém. O acesso se dá pela rodovia estadual Everaldo Martins, a PA-457, totalmente pavimentada. Outra maneira de chegar até a vila é pelo rio Tapajós, de barco ou de lancha. A viagem dura em média 45min de carro e 3h pelo rio. Na vila, existem hotéis e pousadas e um albergue. Os preços das diárias variam a casa período do ano, durante os eventos tradicionais, os valores aumentam consideravelmente em algumas hospedarias.
Carnaval, Festival Borari e Sairé
Visitantes de todos os lugares do Brasil e do mundo movimentam a vila no período do Carnaval do ‘Mela Mela’ - uma brincadeira de espuma e amido de milho que anima os foliões, no Festival Borari - festa indígena que mantem a identidade cultural da vila e ainda a Festa do Sairé, a mais antiga manifestação folclórica realizada anualmente em setembro. Há cerca de 300 anos, o Sairé une rituais religiosos e inclui a disputa folclórica dos botos Tucuxi e Cor de Rosa. A festa reúne cerca de 100 mil pessoas.


                                                  Moradores e visitantes em procissão no Sairé 2016 (Foto: Zé Rodrigues/TV Tapajós)

Culinária
Os pratos mais procurados pelos visitantes em Alter são aqueles feitos à base de peixe. É o ponto forte da vila e não podem faltar no cardápio dos restaurantes. Entre as espécies mais preferidas estão o tucunaré e tambaqui, que são servidos de várias formas: assado, caldeirada, ao molho de escabeche, além da moqueca de surubim. Os doces a base de frutas regionais também são destaques. Outros pratos, como o tacacá, vatapá, pato no tucupi, maniçoba e bolos tradicionais despertam o paladar dos visitantes.

Passeios e pontos turísticos
Entre os pontos turísticos mais visitados, estão a Praça 7 de Setembro, a Orla, a Ilha do Amor, o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), praia do CAT, praia do Cajueiro, Serra Piroca, Floresta Encantada, Lago Verde - onde existem as nascentes de água mineral que alimentam o lago, e ainda a Ponta do Cururu, uma faixa de areia que surge no verão, de onde é possível contemplar o pôr sol com vista privilegiada. É possível chegar ao local apenas via fluvial. O visitante pode escolher pacotes especais na vila.

A Ilha do Amor é a mais famosa, localizada em frente à vila. Quando o rio baixa, surge uma faixa de areia e quando não seca muito, é possível atravessar de catraia, uma pequena canoa, que transporta até quatro pessoas. O valor cobrado é de R$ 5 e a travessia dura cerca de 5 minutos. Na ilha, a Serra Piroca é mais uma alternativa de passeio. O visitante chega até o topo do monte depois de 40 minutos de caminhada em uma trilha que apresenta vegetação de cerrado e terreno íngreme.

Nenhum comentário: