sábado, 4 de março de 2017

PF investiga fraude de aposentadoria em Monte Alegre

A Delegacia da Polícia Federal em Santarém trabalha para desbaratar mais uma organização criminosa, que age para enganar os trabalhadores que estão em busca de algum benefício previdenciário no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
Segundo denúncia, o esquema operado em Santarém possui ramificações em outros municípios da região oeste do Pará, como é o caso que iremos relatar a seguir. Em declaração à Polícia Federal (PF), uma pescadora do município de Monte Alegre se diz vítima de estelionatários, que prometeram lhe aposentar, mediante pagamento de uma quantia em dinheiro. De acordo com ela, o esquema conta com a participação de uma funcionária  da Colônia de Pescadores Z-11, de um dono de loja de crédito e financiamento, e também de um intermediário, e um servidor do INSS/Santarém.
No termo de declarações à PF, no dia 22 de setembro de 2016, a senhora Maria do Carmo Rodrigues dos Santos, pescadora, de 57 anos, residente na Travessa Oriental, 51, bairro Curaxi, em Monte Alegre, comunicou a autoridade federal, que no mês de setembro de 2015, procurou a Colônia de Pescadores Z11 com o objetivo de requerer seus comprovantes da atividade de pesca artesanal, para poder dar entrada na sua aposentadoria, que, inclusive, segundo ela, já teria direito, pois teria preenchido as exigências legais para tal. Conta, que naquela ocasião, foi atendida pela funcionária da Z-11, Vani Cristina, que lhe solicitou R$ 4.000,00 para o homem identificado por Donizete, que seria o intermediador junto ao INSS de Monte Alegre e Santarém, e assim ele conseguiria a sua aposentadoria.
Ainda de acordo com relato de Maria do Carmo, ela aceitou tal proposta, pois é uma pessoa humilde e sem qualquer instrução/orientação. Naquele mesmo dia, Vani tirou cópia da documentação dela e disse que era para fazer um empréstimo consignado para pagar o valor acertado. No dia seguinte, Vani mandou assinar as papeladas do empréstimo consignado, no valor total de R$ 8.500,00, em uma loja no centro da cidade. Foi quando assinou os documentos.
Disse ainda que no dia 20 de outubro de 2015, Vani a levou até Santarém, para se encontrarem com o Donizete, que levou seus documentos e entregou ao servidor/INSS Elpídio, o qual atendeu a declarante e disse que estava, desde já, aposentada. Prosseguindo o seu relato ao Delegado da Polícia Federal, Dr. Lívio Brito, ela disse, que na volta para Monte Alegre, Vani lhe falou que o valor acertado, no caso, R$ 4.000,00 seria destinado a Donizete e Elpídio como pagamento pelos serviços. Após 10 dias, ela e o proprietário da loja de crédito, foram sacar o dinheiro do empréstimo consignado na agência do Banco do Brasil de Monte Alegre. Ela ficou apenas com R$ 4.500,00, e acreditava que o dono da loja ficou com o restante R$ 4.000,00 e repassou a Vani, Donizete e Elpídio.
Conforme relato da pescadora, sua aposentadoria parecia ter dado certo, mas para sua surpresa, no mês de agosto no ano passado, ela recebeu comunicado do INSS dizendo que seu benefício estava sob suspeita de fraude. Descoberto que tinha sido vítima de golpistas, resolveu realizar a denúncia à autoridade policial, que já encontra-se com inquérito aberto, e deve muito em breve solicitar as medidas cabíveis junto à Justiça Federal.
Fonte: RG 15/O Impacto
Reações:

0 comentários: