Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

MILITARES DA COMUNIDADE DE ÁGUA BRANCA RECEBERAM UMA VIATURA NOVA DOADA PELO GOVERNO ATRAVÉS DA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO.


A viatura foi entregue na tarde da ultima quarta feira(15/11/2017) pelo vereador  Wescley Tomaz, o veiculo é destinado aos  trabalhos da policia militar do destacamento da comunidade do Água Branca uma das mais distantes da sede do município. 
Os policias que tinham apenas uma moto para atender as ocorrências agora estão com uma caminhonete adequada para a região principalmente no período de inverno.
Além das ocorrências na comunidade de água branca,  quando tem necessidade  os militares também atendem outras localidades da região garimpeira e um veiculo traçado é fundamental para esse serviço. 
A camionete foi uma solicitação do vereador Wescley Junto ao comando da policia militar e reforçado pelo deputado federal Joaquim passarinho junto a secretaria de segurança pública do estado.


Fonte: http://www.plantao24horasnews.com.br/ com informações do repórter Marinaldo Silva.

Imagens: Gabinete Vereador Wescley Tomaz.

Servidores da Polícia Civil acusados de extorsão são demitidos

Investigador Jassil Paranatinga e o escrivão Juscelino Oliveira Ribeiro tiveram suas condutas apuradas por Processo Administrativo Disciplinar (PAD).
Acompanhe a íntegra do decreto:
DECRETO
O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ EM EXERCÍCIO, usando das atribuições que lhe são conferidas pelo art.135, incisos III e XX, in fi ne, da Constituição Estadual, e Considerando a conclusão do Processo Administrativo Disciplinar,
instaurado pela Portaria nº. 016/2016-DGPC/PAD, de 18 de julho de 2016, publicada no DOE nº. 33.188, de 10 de agosto de 2016;
Considerando as informações constantes no Processo nº. 2017/239289;
Considerando os termos do Parecer nº. 393/2017 da Procuradoria-Geral do Estado,
R E S O L V E:
Art. 1º Demitir os servidores JUSCELINO OLIVEIRA RIBEIRO (matrícula nº. 54183815/1) e JASSIL PARATININGA FILHO (matrícula nº. 5853400/1) dos cargos efetivos de Escrivão e Investigador de Polícia Civil, respectivamente, lotados na Polícia
Civil do Estado do Pará – PCPA, com fulcro no art. 74, incisos VII, XIII, XXV e XXXIX c/c o art. 81, inciso XIII, ambos da Lei Complementar Estadual nº. 022, de 15 de março de 1994.
Art. 2º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.
PALÁCIO DO GOVERNO, 16 DE NOVEMBRO DE 2017.
JOSÉ DA CRUZ MARINHO
Governador do Estado em exercício
Entenda o caso
Assim como em todo segmento profissional, que existem os maus e bons trabalhadores, nos órgãos de segurança pública não é diferente. Porém, choca a sociedade, que entre uma grande maioria de policiais que arriscam a sua vida diariamente em defesa da população, existe uma minoria que é desonesta e corrupta, que não perde a oportunidade para obter vantagens ilícitas.
Em Santarém, oeste do Pará, um caso envolvendo dois servidores da Polícia Civil está sendo investigado pela Corregedoria do órgão.
No ano passado foi publicada no Diário Oficial do Estado nº 33188, a Portaria nº 016/2016-DGPC/PAD, de 18 de julho de 2016, em que o Delegado Geral da Polícia Civil do Pará, Dr. Rilmar Firmino de Sousa, determinou a instauração de Processo Administrativo Disciplinar para apurar o suposto crime praticado pelos servidores Juscelino Oliveira Ribeiro (escrivão de Polícia Civil) e Jassil Paranatinga Filho (Investigador de Polícia Civil).
ACUSAÇÃO: Segundo o inquérito policial instaurado na Corregedoria da 12ª RISP Baixo Amazonas, os agentes da Polícia Civil estão sendo acusados da prática de crimes previstos nos artigos 316 e 347 do Código Penal Brasileiro, que juntos prevêem prisão/detenção que vão de três meses a doze anos, além de multa. Constatado o ilícito administrativo atribuído aos servidores em questão, os mesmos também podem perder o cargo público.
O CRIME: De acordo com a denúncia que chegou até a Corregedoria de Polícia Civil, os servidores Juscelino Oliveira Ribeiro e Jassil Paranatinga Filho teriam prendido e conduzido até o prédio da UIPP Nova República, a senhora Cladilva Maria Oliveira de Sousa, sem que fosse instaurado o respectivo procedimento policial, ocasião em que teriam exigido e recebido certa importância em dinheiro em troca de sua liberdade. Ela disse pro Corregedor da Polícia Civil, delegado Elinelson de Oliveira Silva: “Prefiro ficar presa de que ficar sendo extorquida”.
APURAÇÃO: Na portaria, fica estabelecida a indicação de membros que farão parte da Comissão Processante que efetivará o PAD. A comissão tem o prazo de sessenta dias, a partir da publicação da portaria, para apurar as acusações citadas na denúncia contra os servidores, assegurando-lhes os princípios constitucionais do contraditório e da ampla defesa.
A possível vítima de extorsão juntamente com seus familiares também acionou o Ministério Público Estadual, que está acompanhando o caso.
CASO SEMELHANTE: Em abril deste ano, a Justiça do Pará decretou a prisão e o afastamento de policiais civis acusados de concussão, extorsão e abuso de autoridade no município de Paragominas, no sudeste do Pará. Quatro policiais estavam envolvidos no caso e foram denunciados pelo Ministério Público do Pará (MPPA) após investigação.
O Investigador da Polícia Civil Alessandro Diniz do Espírito Santo teve a prisão decretada e cumprida. A justiça decretou, ainda, o afastamento do Delegado Jivago Freitas Ferreira e do investigador Rildo Augusto Mendes Chada, além da limitação da atuação do investigador Clayton Pereira Vilanova. A Polícia Civil informou que vai cumprir as decisões judiciais.
De acordo com o MPPA, a denúncia ocorreu após uma visita carcerária na 13ª Seccional de polícia de Paragominas, em que foram encontradas três pessoas presas ilegalmente por quase 24 horas, sem mandado judicial e por crimes de natureza ambiental, para os quais não caberia a detenção e seriam afiançáveis, em caso de flagrante.
Os presos foram imediatamente colocados em liberdade e relataram à Promotoria de Justiça que três deles haviam sido presos na noite anterior, após uma invasão de policiais civis na propriedade de uma das vítimas, sob a justificativa de que lá estavam praticando crime ambiental, de acordo com denúncia anônima.
Ainda segundo o relato, os policiais solicitaram que os detidos chamassem o dono da propriedade para fazerem um “acerto” antes de chegarem à delegacia, e evitar a prisão. Um dos detidos fez o contato e os policiais exigiram a quantia de R$ 50 mil da quarta vítima, para não realizarem as prisões e nem apreenderem o maquinário da fazenda.

Como o pagamento não foi realizado, os três foram presos e a quarta vítima foi até a delegacia na presença de sua advogada, mas também foi preso a mando do delegado, que ainda manteve a prisão dos três funcionários. As quatro vítimas ficaram presas até o início da tarde do dia seguinte, quando a Promotoria de Justiça constatou a ilegalidade durante a visita carcerária.

MP Eleitoral vai recorrer de decisão que julgou improcedente processo contra Helder Barbalho

O Ministério Público Eleitoral vai recorrer da decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE) que, em julgamento hoje (16), por cinco votos a um, considerou improcedentes as acusações de abuso de poder econômico nas eleições de 2014, contra Helder Barbalho, Joaquim Lira Maia, Jader Barbalho Filho e Camilo Centeno.

O relator do processo, desembargador Roberto Gonçalves de Moura, apresentou voto favorável à tese do MP Eleitoral, excluindo apenas Lira Maia das acusações, mas os outros cinco integrantes do Tribunal votaram integralmente a favor dos acusados. O MP Eleitoral tem prazo de três dias ára recorrer, a contar do dia em que o processo for devolvido pelo TRE.

Para o MP Eleitoral, os acusados utilizaram-se das empresas de comunicação pertencentes à família Barbalho – muitas delas concessões públicas de rádio e televisão – para favorecer a chapa do candidato ao governo do Pará Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho e da deputada federal Elcione Zaluth Barbalho. O candidato a vice-governador era Lira Maia, também acusado de abuso de poder econômico.

O MP pediu a condenação dos candidatos e também dos diretores das emissoras utilizadas na campanha deles – Sistema Norte de Comunicação, Diário do Pará, Rádio Clube do Pará, DOL, Sistema Clube do Pará de Comunicação, Intelcom, Telecomp, Carajas FM e Rede Brasil Amazônia de Televisão – e que fossem tornados inelegíveis pelo prazo de oito anos a contar da eleição em que cometeram os abusos.

Em sua defesa, Helder Barbalho e Lira Maia alegaram que a participação societária do primeiro no grupo de comunicação não lhe dá poderes de interferir no conteúdo da programação veiculada. Já Camilo Centeno e Jader Barbalho Filho alegaram que não houve qualquer mudança na rotina dos trabalhos das emissoras de comunicação que dirigem. Mesmo a entrevista concedida pelo senador Jader Barbalho no dia das eleições no horário matinal da Rádio Clube, segundo os acusados, estaria revestida de legalidade.

Para o MP Eleitoral as alegações da defesa não se sustentam e a decisão do TRE abre um precedente perigoso, pois sinaliza para que novos abusos ocorram com o uso de veículos de comunicação como braços de campanha nas eleições de 2018.


Fonte: Ascom/MPF

Preso responsável por contratar pistoleiro que matou prefeito de Tucuruí

Flávio Rodrigues Porto, paraense, 39 anos, apontado como o responsável por contratar o pistoleiro Bruno Marcos, para executar o prefeito de Tucurui, Jones William, foi preso na tarde da última quarta-feira (15), em Umuarama, município de São Miguel do Araguaia, interior de Goiás.
Flávio Rodrigues seria natural do município de Rondon do Pará e era gerente da fazenda do empresário José David Lucas, assassinado em Tucuruí e apontado pela polícia como intermediário na morte do prefeito. Flávio deverá ser enviado a Belém ainda nesta quinta-feira (16).

O CRIME: O prefeito Jones William foi executado a tiros no dia 25 de julho deste ano, enquanto visitava uma obra no bairro Cristo Vive. Dois homens em uma motocicleta fizeram uma emboscada e dispararam cinco vezes contra o prefeito, que chegou a ser encaminhado ao hospital, mas acabou morrendo. O suspeito de disparar contra o prefeito, Bruno Marcos, foi preso em setembro, e um segundo envolvido foi preso no mês seguinte. Também em outubro, Josy Brito, mãe do vice-prefeito de Jones William, foi presa, apontada como a mandante do crime.


Fonte: (DOL)

Mulher luta por remédio para sobreviver: 'Bate um desespero'

Há cinco anos Júlia Vasques, 30 anos, de Cachambi (RJ), descobriu que sofre de SHUA (Síndrome Hemolítico Urêmica Atípica) — doença rara e sem cura que agride as próprias células do corpo. A condição provoca coágulos que entopem os vasos sanguíneos e pode levar à insuficiência renal, anemia aguda e até à morte.

Para salvar sua vida, a psicóloga precisa tomar a cada 15 dias uma dose do remédio eculizumab, que inibe os efeitos da doença. Por todos esses anos, ela conseguiu acesso ao medicamento apenas por ordem judicial, já que o remédio não está disponível no SUS (Sistema Único de Saúde). Porém, de acordo com ela, o Ministério da Saúde interrompeu a entrega em outubro, sem aviso prévio. E, no início de novembro, enviaram quantidade para apenas um mês. Segundo a psicóloga, geralmente, ela recebe remédio suficiente para seis meses.

Em conversa emocionada com R7, ela diz que tem “medo de novos episódios” da doença.

— Com o remédio eu tenho uma vida boa, trabalho, estudo, faço minhas coisas. Tenho medo de ficar sem e deixar de fazer essas coisas e até morrer, porque algumas pessoas já morrerem por falta de medicação, a gente não sabe o que vai acontecer, bate um desespero.
Surgimento da doença

Julia descobriu a doença por causa de uma gripe muito forte que teve. Ela relembra que, mesmo recuperada, ainda se sentia muito fraca.

— Achei que poderia ser algum resquício da gripe, imunidade baixa, mas fui ficando cada vez mais fraca, ao ponto de não conseguir mais acordar. Eu dormia 12, 13 horas seguidas por dia, não tinha ar para subir escada. Depois meu corpo começou a inchar e fiquei muito enjoada.
Após o episódio, Júlia foi levada diretamente para a emergência. No início, os médicos desconfiaram que ela estava com alguma doença nos rins, mas depois de três meses internada, foi diagnosticada com a SHUA.

Por indicação dos médicos, a psicóloga procurou a AFAG (Associação para Familiares, Amigos e Portadores de Doenças Graves), entidade que atua na defesa dos direitos das pessoas que têm doenças raras e graves.  Foi então, que descobriu que poderia fazer uso do remédio eculizumab — único tratamento da doença —, que inibi os efeitos da SHUA e possibilita que o paciente consiga ter uma vida normal.
Falta de medicação é geral

Atualmente, o acesso ao eculizumab é apenas por via judicial. O medicamento foi aprovado em março para comercialização no Brasil pela Anvisa, mas o custo elevado do remédio (aproximadamente R$ 12 mil o frasco) impede o acesso dos pacientes. Além disso, o SUS não dispõe do remédio. E não há previsão para incorporação, segundo informou a pasta. Pois, ainda é necessária avaliação da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Novas Tecnologias ao SUS).

Em outubro, a psicóloga não recebeu a medicaçãoArquivo pessoal
De acordo com a representante nacional da AFAG, Margareth Maria Araújo Mendes, Júlia não é a única que está aflita. Há mais ou menos dois meses, o medicamento parou de ser fornecido para diversos pacientes. Três pessoas já morreram. Depois das mortes, a representante conta que o Governo, inclusive, enviou alguns frascos para alguns pacientes que estavam em estado crítico.  
— Pelo menos uns 200 pacientes estão sem medicamento. A última compra do ministério foi em maio e eles distribuíram em junho. Então para a maioria a última dose do remédio acabou no final de agosto. Desde de o ano passado, já é a terceira vez que tem um atraso grande, mas dessa vez acho que atingiu praticamente todos nós e parece que nada está adiantando.
O que é a Síndrome Hemolítico Urêmica Atípica?
A doença é uma condição rara que não tem cura e que afeta uma parte importante da defesa do organismo contra bactérias e outros agentes.
Se não tratada, o "sistema sofre uma perda da regulação e passa a atacar as próprias células do corpo, podendo levar à morte", explica a nefrologista pediátrica da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) Lilian Monteiro Pereira Palma.
Publicidade
Fechar anúncio
— A doença geralmente se manifesta com fraqueza e palidez, podendo ocorrer envolvimento de múltiplos órgãos: parada dos rins, retenção de água, convulsões, hemorragia pulmonar, diarreia e vômitos. Pode levar à morte e à lesão de alguns órgãos, sobretudo, os rins, com o paciente necessitando de diálise e transplante renal.
Estima-se que a incidência da SHUA seja de 1 a 2 casos a cada milhão de pessoas por ano, sendo que cerca de 60% dos casos ocorrem em adultos, segundo a médica.
Em 60% dos casos, a doença tem causa genética e pode ser inibida os com o uso do medicamento eculizumab — único tratamento para a doença — que impede que o complemento agrida as células dos vasos sanguíneos. Caso a pessoa apresente novos episódios da síndrome e não faça o uso do remédio, existem tratamentos que ajudam no controle da doença, como a infusão de sangue. 
Lilian ressalta que com o uso do remédio o paciente pode ter uma qualidade de vida. 
— Quando o paciente responde bem a qualquer um dos tratamentos pode ter boa qualidade de vida. O mais importante é fazer um acompanhamento regular clínico e de exames. 
Outro lado
Em nota, o Ministério da Saúde informou que cumpre todas as decisões judiciais sobre medicamentos e tratamentos no âmbito do SUS e que o medicamento importado representa o maior gasto, entre os remédios pedidos via Justiça, sendo que em 2016, foram gastos R$ 613 milhões. Um custo médio de R$ 1,3 milhão por paciente ao ano.
O texto também ressalta que das 414 pessoas que possuem decisões judiciais para receber o medicamento, neste ano, 28 não foram localizadas, cinco não residem no endereço informado, seis recusaram a prestar informações e 13 já faleceram.

*Sob a supervisão de Vanessa Sulina

Estudante depreda universidade com taco de beisebol na zona leste

Ação do jovem causou correria entre alunos da instituição de ensino

Um estudante foi preso após depredar janelas e carteiras da Universidade São Judas Tadeu, na Mooca, zona leste de São Paulo, por volta das 20h desta quinta-feira (16). O aluno do curso de design usou um taco de beisebol para quebrar os objetos das dependências do campus.
A Polícia Militar recebeu um chamado para atender uma ocorrência com tiros na universidade. No entanto, não localizou nenhuma arma de fogo no local. Os estudantes teriam confundido o barulho do quebra-quebra com disparos de arma de fogo. Segundo a PM, ninguém se feriu.
A reportagem entrou em contato com os estudantes que estavam no local na hora do tumultuo. Eles disseram que no momento do barulho, que durou menos de cinco minutos, os alunos começaram a correr, se esconder e sair pelas janelas da univerdade.
O aluno estaria insatisfeito com um professor e com a diretoria da instituição de ensino. Vídeos postados no YouTube mostram o jovem reclamando de sua situação, antes de tirar o taco de beisebol da mochila.
Após a depredação, o aluno acabou detido e levado para o 8º Distrito Policial (Brás). Na manhã desta sexta-feira (17), o estudante será ouvido em uma audiência de custódia no Fórum da Barra Funda, na zona oeste, quando a Justiça decidirá se ele deve ficar preso.

A Universidade São Judas postou em sua página no Facebook a seguinte nota sobre o ocorrido:

NOTA OFICIAL🔹
Em relação ao incidente ocorrido na noite de hoje (16/11/17), no campus da Mooca da Universidade São Judas, temos a informar que um aluno teve um comportamento exacerbado e chegou a utilizar um taco de beisebol para depredar o ambiente, causando certa perplexidade às demais pessoas presentes.
Imediatamente a Universidade acionou a segurança local e a polícia, que identificaram e detiveram o indivíduo pela conduta inadequada.
Felizmente foi caso isolado, sem nenhuma agressão física e já controlado.
Em relação às provas que aconteceriam nessa data, asseguramos que o calendário será revisto para que nenhum aluno seja prejudicado e que as aulas de amanhã (17/11/17) acontecerão normalmente.

Marcelo Ié Ié é eliminado de A Fazenda com 32,17% dos votos

O peão perdeu para a namorada, Flávia Viana, na disputa pela opinião do público


Marcelo Iê Iê se torna o nono eliminado de A Fazenda - Nova Chance. Com 32,17% dos votos, o peão perdeu a disputa para a própria namorada, Flávia Viana, na Roça desta quinta-feira (9). A votação popular aconteceu pelo Portal R7.
O humorista e empresário recebeu quatro votos dos participantes do reality show, o que o fez ser jogado direto para a berlinda. Já a atriz havia sido indicada pelo fazendeiro da semana, Marcos Harter. A grande surpresa da semana ficou por conta da indicação da Roça, formada pela dupla e sem a tradicional terceira indicação. A prova do fazendeiro foi feita entre Matheus, o vencedor, e Yuri, após terem sido escolhidos na prova do envelope.

Marcelo encarou sua segunda Roça seguida. Na semana anterior, ele havia vencido outro embate, com a ex-peoa Ana Paula Minerato. Acompanhe A Fazenda, de segunda a sexta, a partir das 22h30, na Record TV. Aos sábados, o reality show vai ao ar às 22h45 e, aos domingos, às 23h15.

MP pede bloqueio de R$ 24 milhões de Lula e do filho Luís Cláudio

Ex-presidente é investigado por suposto tráfico de influência na Zelotes

O Ministério Público Federal (MPF) pediu o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula e do seu filho caçula, Luis Cláudio, no âmbito da operação Zelotes. Na ação o ex-presidente é investigado por suposto tráfico de influência.

No pedido direcionado à 10ª Vara Federal de Brasília os investigadores solicitam o bloqueio de R$ 21,4 milhões de Lula e R$ 2,5 do seu filho. O juiz responsável pelo caso, Vallisney Oliveira, mandou, em 6 de novembro, que ambos fossem intimados para se manifestar sobre o pedido de bloqueio.

O MPF também pediu que o bloqueio de R$ 22,1 milhões do casal Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, que foram denunciados no ano passado na Zelotes. Eles foram acusados de envolvimento em negociações irregulares que levaram à compra de 36 caças do modelo Gripen pelo governo do Brasil e também por envolvimento na negociação da prorrogação de uma Medida Provisória 627 que beneficiou montadoras. O juiz Vallisney Oliveira também solicitou que o casal se manifestasse sobre o pedido de bloqueio de bens.

No pedido, o MPF alega que a empresa Marcondes & Mautoni recebeu entre 2011 a 2015 cerca de R$ 8,4 milhões da montadora MMC, R$ 8,4 da CAOA e 744 mil euros da empresa SAAB, responsável pela fabricação do modelo de caças Gripen, "totalizando R$ 19,6 milhões como proveito dos crimes de tráfico de influência".

Afirma ainda que o casal repassou, "por esquema de lavagem de dinheiro, entre junho de 2014 e março de 2015" R$ 2,5 milhões a Luís Cláudio Lula da Silva por meio de transferências bancárias da empresa deles à LFT Marketing Esportivo, companhia do filho do ex-presidente que organizava um campeonato de futebol americano no Brasil.

No pedido, os procuradores alegam que que Lula "é o responsável pelo retorno financeiro que a Marcondes & Mautoni" obteve da MMC, CAOA e SAAB e também pelos R$ 2,5 milhões pagos ao seu filho.

A defesa do ex-presidente Lula disse, por meio de nota, que não há "qualquer base jurídica e materialidade o pedido de bloqueio de bens formulado pelo Ministério Público Federal contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu filho Luis Claudio Lula da Silva".


A defesa disse ainda que "não há no pedido apresentado pelo MPF indicação de provas a respeito das afirmações ali contidas, que partem de certezas delirantes sobre a 'influência' de Lula na compra de caças pelo País e na ausência de veto em relação a um dos artigos de uma medida provisória (MP 627/2013)".

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

JOVEM TEM MOTO FURTADA E AMIGOS FAZEM COLETA PARA OFERECER RECOMPENSA DE MIL REAIS PARA QUEM DER INFORMAÇÕES QUE LEVEM A SUA MOTO!

moto que foi furtada
A Moto foi furtada na ultima terça feira do estacionamento do hospital municipal.
O proprietário disse que a ação dos criminosos foi filmada e a policia já está à procura dos dois elementos que praticaram esse furto.
Ele disse ainda que não quer o mal de ninguém só sua moto de volta pôs batalhou muito pra compra-la.
MOTO FURTADA:

HONDA/CG 125 FAN ESD, ANO 2013/2014, COR: PRETA.
PLACA: OTR 2681 DE ITAITUBA/PA.
Ajude-o não pela recompensa de mil reais e sim pela recompensa de Deus.


QUALQUER INFORMAÇÃO LIGAR PARA: (93) 99211-2255.

EQUIPE DE TV ESPANHOLA ESTÁ EM ITAITUBA PRODUZINDO UM DOCUMENTÁRIO

Equipe de TV da Espanha está no município de Itaituba produzindo um documentário sobre o desenvolvimento do município.
segundo José Eduardo Pachá que é do Rio de Janeiro e acompanha a equipe de jornalistas espanhóis composta por um cinegrafista um fotografo que também opera um aparelho drone e a repórter responsável por reproduzir o documentário com suas narrativas sobre tudo que já viu na cidade de Itaituba. mais principalmente o crescimento comercial.


Segundo o interprete brasileiro a equipe ficou impressionada com a riqueza florestal e também mineral da região.
Pachá disse ainda que visitaram o Sr. José Antunes que além de advogado é vice presidente da Associação dos Mineradores de Ouro do tapajós (AMOT), Antunes é um profundo conhecedor da ária mineral e disse á eles que o município de Itaituba  tem uma produção mineral capaz de produzir cerca de 1 Tonelada de ouro por mês, o que impressionou ainda mais os jornalistas.
eles irão ficar em Itaituba só até sexta feira (17/11).retornando a Espanha no final do mês somente.

EM SESSÃO POLÊMICA VEREADORES APROVAM LEI QUE AUTORIZA A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL, A RECEBER EQUIPAMENTOS E IMÓVEIS COMO PAGAMENTO DE DIVIDAS DE IMPOSTOS ATRASADOS.

O projeto de lei de autoria do governo municipal de Itaituba deu entrada na câmara no dia 9 desse mês e foi votado em tempo recorde, mas antes da votação houve muita discussão entre os vereadores. David Salomão alegou que não houve tempo suficiente para as comissões analisarem o documento e apresentar parecer sobre o projeto.

O projeto de lei do executivo está baseado no novo código tributário votado nas últimas sessões, e pede autorização do poder legislativo para receber bens de empresas ou  pessoas que tenham dividas com o município e que estejam dispostas a quitarem os débitos através de cheque, cartão de credito,  equipamentos ou imóveis.

Foi mais de uma hora de discussão durante a sessão de terça feira, David Salomão sempre questionando o cumprimento do regimento interno quando se trata da votação de uma lei dessa envergadura, os demais vereadores argumentavam a favor da votação o mais breve possível.

A líder de governo Antônia Borroló também defendeu a votação imediata do projeto e disse que é um projeto bom para a administração municipal que busca aumentar a arrecadação própria. 

Apenas o vereador David Salomão questionou o fato da lei estar sendo votada as pressas e de não ter conhecimento do projeto de lei mesmo sendo presidente da comissão de legislação, justiça e redação final da câmara. 

Depois de muita discussão a sessão foi suspensa por 15 minutos para as comissões de legislação e de finanças pudesse dar parecer sobre o projeto de lei, os pareceres das duas comissões foram favoráveis e Somente o vereador David Salomão se absteve de votar.

Fonte: http://www.plantao24horasnews.com.br/ com informações do repórter Marinaldo Silva.

Imagens: Weslen Reis - TV Eldorado BAND. 

Banco do Brasil acusado de aplicar calote em empresários

César Ramalheiro diz que Banco não está repassando recursos de compras com cartão de débito
Como se não fosse suficiente o momento de grave crise econômica enfrentada pela classe produtiva, o Banco do Brasil vem acarretando prejuízos enormes aos empresários santarenos, atrasando há pelo menos 4 dias o repasse dos valores referente às compras realizadas pelos clientes, utilizando a modalidade de cartão de débito.
O setor empresarial está inconformado com o péssimo atendimento do Banco do Brasil, que não está transferindo o dinheiro para as contas das empresas, que vendem seus produtos através de Cartão de Débito. Segundo informações confirmadas pelo o diretor da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (ACES), César Ramalheiro, desde segunda-feira (13) que o Banco do Brasil não está fazendo esse repasse, fato que tem deixado muitas empresas em situação difícil, pois precisam desses recursos para realizarem o pagamento de suas dívidas junto aos credores.
Para Ramalheiro, a situação é insustentável, e tem provocado um prejuízo enorme a já prejudicada economia local.
“Desde a última segunda-feira, não estamos recebendo os valores que estão nos devendo de cartão de débito e infelizmente, a agência do Banco do Brasil local diz que está resolvendo, segundo eles essa situação foi ocasionada por uma atualização de sistema e é só o que falam e o prejuízo está grande, não tem solução, hoje é quinta-feira, dia 16 de novembro e além do prejuízo financeiro que isso traz para empresa, traz também o problema de crédito da empresa para com os fornecedores. Você não pode honrar os pagamentos, então, é uma situação crítica que a gente realmente precisa de uma solução. O pior de tudo é aqui na agência local, ninguém sabe dizer quando de fato essa situação será normalizada e muito menos o que está ocorrendo”, disse o empresário.
De acordo com César Ramalheiro, quando o sistema funcionava de forma adequada, os valores das vendas realizadas no dia, eram repassados à empresa no dia seguinte. Considerando que as vendas com cartão de débito representam cerca 30% do total das vendas, o prejuízo dos empresários já ultrapassou os valores referentes ao faturamento total de um dia de vendas.
“Antes desse problema, as vendas eram feitas e no outro dia normalmente o valor do cartão de débito estava na conta do cliente e depois desse sistema que foi atualizado, segundo a gerência do banco local, eles tiveram alguns problemas e a partir daí não voltou mais a entrar o dinheiro referente às vendas com os cartões de débito. No caso dos cartões de crédito também estão apresentando problemas, quando é feita a antecipação, a operadora libera, mas o dinheiro não aparece na conta. Os cartões de débito representam mais de 30% do faturamento do nosso segmento, então, a partir daí, dá para imaginar o tamanho do prejuízo financeiro e a grande confusão que se encontra hoje o fluxo de caixa de qualquer empresa aqui em Santarém. Não tem como uma empresa se sustentar com 30% a menos do seu recebido diário através da sua conta”, afirmou César Ramalheiro.
QUEM PAGARÁ O PREJUÍZO: Diante do quadro caótico proporcionado pela irresponsabilidade do Banco do Brasil, que sequer teve a capacidade de comunicar de forma coerente qualquer problema ocasionado em seu sistema, ainda peca por não ter uma definição sobre quando a situação será resolvida. Sobre o prejuízo que o setor empresarial está tendo por conta de tanto desatino, os empresários prejudicados querem saber de que forma o banco irá ressarci-los, pois o erro é da instituição, que parece não estar nem aí para seus clientes.
Por Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto