sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Grupo chinês assina protocolo de intenções para investir no Pará

Mesmo diante do cenário de instabilidade econômica nacional, o Pará vem se destacando e atraindo investimentos internacionais. Depois da multinacional argelina Cevital, agora foi a vez da China Railway Construction Corporation Limited (CRCC), maior grupo de construção integrada do mundo, firmar compromisso para uma série de investimentos, com destaque para a área de logística. O protocolo de intenções entre o Estado e a gigante chinesa foi assinado na tarde desta segunda-feira (25). A cerimônia aconteceu no Palácio do Governo, em Belém, com a presença do governador Simão Jatene, secretários de estado, representantes do setor produtivo e dos trabalhadores.
A chegada da multinacional no Brasil terá como porta de entrada o Pará. Isso mostra mais uma vez o esforço do Estado em atrair investimentos e o nível positivo de confiabilidade no mercado internacional. “Ninguém vai para onde não acredita. Essa grande afluência de empreendedores internacionais é sinal de que o nosso Estado cada vez mais está sendo visto, não apenas no Brasil, mas internacionalmente, com um outro olhar. Como um Estado que tem um grande potencial, que tem a possibilidade de oferecer como contrapartida relações sérias, responsáveis, efetivamente comprometidas com o desenvolvimento do Estado com o bem público”, afirmou o governador Simão Jatene. 
Durante a cerimônia, o diretor geral da CRCC na América Latina, Zhao Jiaping, ressaltou o trabalho desenvolvido pela estatal chinesa, assim como as possibilidades de investimento na região. “Nossa empresa é especializada em caminho de ferro, rodovias e portos, e agora temos a intenção de participar dos projetos locais. Estamos aproveitando para conhecermos melhor os portos e demais infraestruturas. O Pará nos interessou muito e estamos realizando estudos para definir o investimento no Estado”, comemorou Jiaping.
Entre as áreas de atuação da companhia está a produção industrial, logística, desenvolvimento imobiliário, comércio de bens e materiais, assim como operações de capital. A CRCC já projetou e construiu grande parte da infraestrutura em vários países, além da própria China, incluindo o sistema ferroviário de alta velocidade, metrôs e vias expressas.
A partir da assinatura do protocolo, o próximo passo é apresentar o conjunto de projetos que o Estado possui e pretende realizar, e ver quais aqueles que mais despertam o interesse da Companhia, além dos estudos de viabilidade. “Temos que investir em parcerias estratégicas para a realização de projetos. Temos vários exemplos importantes, como a expansão de um porto em Barcarena e a ferrovia paraense, todos de grande porte, que necessariamente tem escala global e como tal, tem exigência de recursos global, e de expertise global, para que eles possam ter sucesso”, pontuou o governador. 
O diretor da CRCC e sua comitiva devem continuar no Estado para visitar algumas localidades, entre
elas o município de Barcarena, para estudo e análise de potencialidades e participação nos projetos. “Eles têm interesse em se instalar no país e nada melhor do que o Pará. Vamos mostrar o Estado a eles e vamos repassar todas as informações técnicas para que possam ter segurança no que vão investir”, acrescentou o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki.
A chegada do grupo chinês no Estado é vista de forma positiva por todas as pontas da cadeia produtiva, já que o investimento é sinônimo de geração de renda e emprego. “Recebemos a notícia com entusiasmo, pois em um momento de crise em que o país passa, com desemprego em massa, ter uma oportunidade como essa é muito significante. Costumamos dizer que nós pisamos em riqueza, mas ela ainda não dá o devido retorno para o nosso povo. E é isso que a gente vislumbra”, destacou o presidente da Federação dos Trabalhadores das Indústrias Metalúrgicas do Norte do Brasil, Sulivan Ferreira Santa Brigida.
A Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec), responsável pela atração de negócios e investimentos, também vai acompanhar o processo de implantação da empresa. “Temos um papel transversal de dar suporte para toda essa tratativa que está sendo iniciada pela Sedeme em parceria com o governo do Estado. Quando isso estiver efetivamente estabelecido e, logicamente, vencido todas as etapas de ordem estratégica, de aproximação do setor produtivo, a Codec entra para facilitar a concretização de todo esse processo”, pontuou o presidente da instituição, Olavo das Neves.

Fonte: Agência Pará
Reações:

0 comentários: