quinta-feira, 16 de junho de 2016

Wlad é taxado de "traidor" e "excêntrico"

O principal assunto contornando a Câmara dos Deputados ainda é a aprovação do parecer favorável à cassação do deputado Eduardo Cunha, ocorrida durante votação do Conselho de Ética na última terça-feira (14). Um dos pontos mais curiosos da sessão foi o voto do deputado paraense Wladimir Costa, considerado aliado do presidente afastado, mas que votoufavoravelmente à  cassação.
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Wlad tem sido taxado de traidor após a votação, além de já ser considerado "excêntrico", devido a vários episódios envolvendo sua carreira na Câmara.
Desde sua campanha, quando deu a si mesmo o título de "o federal do povão", até momentos como a votação do processo de impeachment de Dilma, quando, enrolado em uma bandeira do Pará, estorou um lança confetes e bradou "quem vota sim põe a mão pra cima!", quando ganhou o apelido de "deputado dos confetes".
Wlad também recebeu críticas sobre sua atuação. Em 2004, propôs um pebliscito para anexar o Amapá ao Pará, e em 2009, a criação do "Dia Nacional do Professor de Dança". Ele também faltou a 70% das sessões deliberativas a partir de 2015, sendo que 24 faltas não foram justificadas.
deputado foi alvo de quatro ações por crimes contra a honra e é réu em uma ação no Supremo Tribunal Federal que julga a participação em um esquema de desvio de recursos públicos em Belém, entre 2003 e 2005. Recentemente, ele ainda se envolveu em uma discussão com o deputado Zé Geraldo, na qual chamou o colega de "vagabundo", "bandido" e "safado" em plena sessão.

(Com informações da Folha de S. Paulo)
Reações:

0 comentários: