sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Itaituba terá médico estrangeiro através de programa do Governo Federal

O Pará receberá 44 novos profissionais da saúde através do programa "Mais Médicos", do Governo Federal. 42 médicos são brasileiros e dois tem registro profissional fora do país. Os médicos devem ser distribuídos em 24 municípios do estado e em dois distritos sanitários indígenas.

De acordo com o Ministério da Saúde, 16 destes 44 profissionais devem atuar em regiões de extrema pobreza no Pará. Segundo o Governo Federal, o número de vagas preenchidas equivale a 8% da necessidade dos municípios paraenses, que precisam de mais 540 médicos para completar o quadr de atenção básica no Sistema Único de Saúde.

Info Mais Médicos V4 6.8 (Foto: Editoria de Arte/G1) Segundo o ministro da educação, Aloízio Mercadante, os médicos estrangeiros não devem concorrer com os médicos brasileiros. Para ele, a presença de profissionais com registro de fora do Brasil é atender uma demanda do SUS.

Municípios
Segundo o Ministério da Saúde, os médicos brasileiros selecionados através do programa devem atuar no Acará, Altamira, Ananindeua, Belterra, Benevides, Bragança, Breu Branco, Breves, Bujaru, Colares, Eldorado dos Carajás, Itupiranga, Maracanã, Marituba, Óbidos, Peixe-boi, Prainha, Santarém, São João da Ponta, Pirabas, São João do Araguaia, Vitória do Xingu e nos distritos indígenas Kaiapó, em redenção, e Guamá-Tocantins, em Belém.

Os médicos estrangeiros devem trabalhar em Altamira e Itaituba.
Os locais que mais receberam médicos do programa do Governo Federal são Acará e o Distrito Sanitário Indígena Guamá-Tocantins, com 4 médicos cada.
Entenda o caso
O governo federal lançou em julho de 2013, em Brasília, o programa “Mais Médicos", que tem o objetivo de aumentar o número de médicos atuantes na rede pública de saúde em regiões carentes, e permite a vinda de profissionais estrangeiros ou de brasileiros que se formaram no exterior.
A previsão do Ministério da Saúde é que até 18 de setembro todos os profissionais escolhidos dentro do  “Mais Médicos” estejam atuando no país. O programa é instituído por meio de medida provisória assinada pela presidente Dilma Rousseff, e regulamentado por portaria conjunta dos Ministérios da Saúde e da Educação.
Segundo o Ministério da Saúde, há um déficit de 54 mil profissionais no Brasil - por isso, o governo apresentou proposta de "importar" médicos de outros países para que eles atendam a população através do Sistema Único de Saúde (SUS)
No dia 21 de junho, em pronunciamento em rede nacional, a presidente Dilma Rousseff propôs incentivar a contratação de médicos estrangeiros para trabalhar exclusivamente no SUS.
O anúncio gerou protestos da classe médica, que se manifestou contra a proposta do governo federal em diversas cidades do país. No dia 1º de agosto, o Ministério da Saúde informou que 1.753 médicos com diplomas de universidades brasileiras foram selecionados para trabalhar em 626 municípios, na primeira rodada do processo seletivo do programa Mais Médicos. Do total, 51,3% devem atuar em cidades do interior e 48,6% nas periferias de capitais e nas regiões metropolitanas. Segundo o ministério, este número equivale a 11% da demanda por médicos no Brasil.
Fonte G1 Paráe Gilson Vasconcelos
Reações:

0 comentários: