sábado, 26 de outubro de 2013

Candidatos se atrasam e perdem o primeiro dia do Enem; veja histórias pelo G1.

SÁBADO (27): São Paulo (SP) - Irmar Rodrigues Oliveira e a filha Ananda chegaram atrasados por causa do ônibus (Foto: Caio Kenji/G1)

1º dia de provas começou às 13h deste sábado, no horário de Brasília.
Houve até quem tentou se espremer pelo portão, mas acabou eliminado.

Irmar Rodrigues Oliveira e a filha Ananda chegaram atrasados por causa do ônibus (Foto: Caio Kenji/G1)
No primeiro dia de provas da edição 2013 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), muitos candidatos chegaram com até quatro horas de antecedência ao local de prova. Mas houve casos de estudantes que acabaram perdendo a prova por chegarem após o fechamento dos portões, que aconteceu pontualmente às 13h do horário oficial de Brasília. Segundo o edital do Enem 2013, não há tolerância com atrasos.

Ananda Pereira de Oliveira, de 18 anos, mora em Parada de Taipas, na Zona Norte de São Paulo, e chegou pouco depois do fechamento do portão na Uninove, na Barra Funda, na Zona Oeste. Ela e o pai, o empresário Irmar Rodrigues Oliveira, de 54 anos, não contiveram as lágrimas. Irmar também faria o Enem neste ano.
Os dois pretendiam conseguir com o Enem uma vaga em um curso de engenharia civil, mas o ônibus que pegaram atrasou.“O trânsito estava caótico. Deixamos meu filho, que presta como treineiro, e viemos para cá. Chegamos dois minutos depois do fechamento do portão”, disse. Ananda Pereira de Oliveira já é estudante de engenharia em uma faculdade privada tentava conseguir uma vaga em uma universidade federal. "Fico muito triste por causa dela. Ela é muito esforçada. Trabalha, faz cursinho e faz faculdade, mas queria algo melhor", disse o pai, que não pretende desistir do sonho de voltar a estudar.
Veja abaixo histórias de quem acabou perdendo a prova neste ano:
Daniel Silva chegou 10 minutos atrasado ao local de prova após o ônibus em que estava quebrar na estrada na zona rural de Teresina (Foto: Patrícia Andrade/G1)Daniel mora na zona rural de Teresina; seu ônibus
quebrou na estrada (Foto: Patrícia Andrade/G1)
Ônibus quebrou e carona atrasou
No primeiro dia de aplicação das provas do Enem, os portões da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) fecharam às 12h em Teresina. Mas Daniel Silva Santos, 19 anos, só chegou ao local 10 minutos depois. O jovem, que reside no povoado Santa Luiz, na zona rural da capital, estava dentro de um ônibus que quebrou no meio da estrada. Nem mesmo a carona de um amigo foi suficiente para que o candidato chegasse a tempo de fazer a prova. Daniel conta que saiu de sua residência por volta de 9h, no entanto, o ônibus que trazia o estudante da zona rural para a capital quebrou. Ele afirma que outro veículo fez a condução, porém o trânsito estava complicado. “Quando eu vi que estava em cima da hora, resolvi ligar para um amigo pedindo socorro. Desci do ônibus e ele me trouxe em seu carro, mas mesmo assim não deu tempo”, relata.
Vitória (ES): candidata perdeu prova e disse que foi assaltada. (Foto: Juliana Borges/ G1ES)Marli disse que teve seu cartão do Enem roubado
em um assalto  (Foto: Juliana Borges/ G1ES)
Teve o cartão do Enem roubado
A candidata Marli Penha de Oliveira, de 53 anos, não conseguiu entrar para fazer a prova. Ela contou que foi assaltada na sexta-feira (25) e que levaram sua bolsa com o cartão de inscrição do Enem. Por isso, ela não sabia exatamente em qual prédio da Faesa faria a prova na Avenida Vitória. "Na mesma avenida tem três pontos da mesma rede de faculdades e eu só sabia que faria a prova em um deles. Estava em outra Faesa quando me falaram que estava no lugar errado. Quando fui tentar entrar no outro já não dava mais tempo", disse. A candidata contou que seu sonho é fazer o curso de direito. "Ano passado quase consegui uma bolsa de estudos. Esse ano achei que teria mais sorte, mas infelizmente não deu", lamentou.
Dominique passou a noite estudando para fazer o exame  (Foto: Alexandre Durão / G1)Dominique passou a noite estudando para fazer o
exame (Foto: Alexandre Durão / G1)
Acordou tarde demais
A estudante Dominique Mantuano, de 19 anos, chorou muito ao ver os portões fechados no Rio. “Eu não podia ter perdido. Eu já tinha passado para pedagogia, mas eu queria letras. Eu acordei atrasada, às 12h, porque passei a noite estudando. Eu não acredito", afirmou a jovem, inconformada por ter perdido o ano de estudos. Dominique explicou que, como trabalha em uma loja, só podia estudar à noite, quando chegava em casa. "O jeito é tentar ano que vem novamente. Eu vou vir amanhã só para testar a minha redação", disse a jovem, que mora no Méier.
Candidata perdeu a prova por seis minutos de atraso (Foto: Diana Vasconcelos/G1)Candidata perdeu a prova por seis minutos de
atraso (Foto: Diana Vasconcelos/G1)
Confundiu o horário de verão
Na Faculdade Integrada do Ceará (FIC), em Fortaleza, a estudante Camila Brito acabou perdendo a prova do Enem 2013 porque confundiu o horário de verão. No seu cartão de confirmação de inscrição, ela viu o registro do início da prova às 13h, mas não percebeu que se referia ao horário de Brasília. O Ceará é um dos estados que não adora o horário de verão e, por isso, quando o horário oficial de Brasília muda, a população cearense acaba ficando uma hora atrás. Em Fortaleza, os portões do Enem abriram às 11h e a prova começou às 12h. "Não achei que era o horário de Brasília, perdi por causa do horário de verão, agora perdi a chance, vai ficar para o próximo ano", lamentou a jovem.
Candidato "se espreme" em portão, mas não consegue entrar em prédio para fazer prova do Enem em Campinas (Foto: Marília Rocha/G1 Campinas)Bruno tentou se espremer pelo portão, mas ficou
de fora (Foto: Marília Rocha/G1 Campinas)
Tentou se espremer pelo portão
O jovem Bruno Vicentim, de 23 anos, foi impedido de entrar para fazer a prova do Enem 2013 em Campinas (SP) quando tentava passar pelo portão no momento em que ele era fechado pelos fiscais. O morador do bairro Nova Europa disse que atrasou porque esperou o ônibus do transporte público durante uma hora. Vicentim chegou a argumentar com os fiscais, que disseram que o relógio já marcava mais de 13h e, portanto, ele não poderia entrar. O jovem, revoltado, disse que faltou ao trabalho para fazer a prova e agora não terá condições, sequer, de justificar a ausência na empresa onde presta serviço de manutenção elétrica. "Meu dia foi perdido", desabafou.
Estudante chega menos de um minuto atrasado e perde prova do Enem em Boa Vista (Foto: Valéria Oliveira/G1)Servidor mora a dez minutos do local de provas,
mas pegou trânsito (Foto: Valéria Oliveira/G1)
Perdeu a prova por um minuto
O servidor público Rivelino Leocádio, de 35 anos, não conseguiu entrar para a fazer a prova do Enem por menos de um minuto de atraso. "Foi só o tempo de estacionar", disse ele ao fiscal que fechou o portão do local onde ia fazer a prova em Boa Vista, em Roraima. No entanto, a justificativa não convenceu. Leocádio disse que a autoconfiança foi o motivo dele não ter chegado no horário. "Gasto dez minutos da minha casa para o Centro de Boa Vista. Hoje, saí faltando 13 minutos. Por azar, fiquei preso em um congestionamento. Infelizmente, não deu", lamentou. Ainda segundo ele, o horário da realização da prova é ruim, pois é no meio da manhã. Para Leocádio, que ia fazer o Enem pela terceira vez, a prova deveria ser mais tarde. A meta do servidor era alcançar uma boa pontuação para tentar uma vaga em uma faculdade.
  •  
Camila Mata (Foto: Reprodução/TV Liberal)Camila chegou a tempo, mas achou que o portão
estava fechado (Foto: Reprodução/TV Liberal)
Chegou na hora, mas não entrou
A candidata ao Enem Camila Mata, que mora na região metropolitana de Belém, no Pará, chegou faltando 17 minutos para que os portões do colégio em que iria realizar a prova deste sábado (26) fechassem, mas perdeu o exame. "Eu vim de Marituba e cheguei ainda agora. Vi o pessoal aqui na frente e pensei que ainda iam abrir os portões. Cheguei às 11h43, pensando que os portões estavam fechados, mas fiquei de fora", afirmou a estudante. A jovem disse que esperou o ano inteiro para fazer a prova. "É uma prova muito importante. Chega a ser engraçado, cheguei 15 minutos antes, mas não vi o portão aberto. Meu celular estava com a hora errada. É muito triste, vou voltar para casa, falar para os meus pais", relata Camila.
'Sensação é de frustração', diz Maíra, que pretende cursar psicologia (Foto: Analídia Ferri/G1)'Sensação é de frustração', diz Maíra, que pretende
cursar psicologia (Foto: Analídia Ferri/G1)
Entrou no campus, mas errou de bloco
A estudante Maíra Michelle Belo, de 28 anos, chegou mais cedo ao prédio da universidade onde faria a prova do Enem neste sábado em Ribeirão Preto (SP). Maíra conta que já estava dentro de uma das salas antes das 13h --horário de fechamento dos portões--, quando foi avisada por uma fiscal que estava no local errado. Faltando poucos minutos para o início do exame, Maíra diz que precisou sair correndo à procura da sala certa, mas que não houve tempo. “Quando cheguei na porta não dava mais tempo e me disseram que eu não poderia mais entrar. Achei tudo muito mal organizado. Me preparei durante meses, cheguei aqui e não consegui encontrar o bloco onde eu faria a prova”, diz. Maíra que pretende cursar psicologia ficou desapontada. “A sensação é de frustração e de tempo perdido”, lamenta.
José Gildevan de Barros, 24 anos, chegou 5 minutos atrasado e perdeu o Enem em Goiânia (Foto: Fernanda Borges/G1)José Gildevan mora a 30 km do local de provas e
chegou 5 min atrasado (Foto: Fernanda Borges/G1)
Mora a 30 km do local de prova
Mesmo saindo de casa 10h40, o estudante José Gildevan de Barros, 24 anos, chegou 5 minutos atrasado e perdeu as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em Goiânia, na tarde deste sábado (26). Ele disse que pegou dois ônibus e um mototáxi, pois mora a cerca de 30 km do local onde teria de fazer as provas, no prédio da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), no Jardim Goiás. Segundo o jovem, o trânsito estava muito congestionado. Indignado, o jovem lamenta ter perdido a chance de tentar cursar medicina: “Estudei muito o ano inteiro. Paguei cursinho e agora vou ter que esperar até o ano que vem. Passar pelo processo tudo de novo. Não houve compreensão do governo porque me colocou pra fazer prova em uma faculdade muito longe de onde eu moro.”
Candidato de Cuiabá chega atrasado para prova do Enem (Foto: Renê Dióz/G1)Candidato esqueceu o RG em casa e acabou
perdendo a prova (Foto: Renê Dióz/G1)
Esqueceu os documentos
Rafael Melo dos Santos, de 20 anos, até que chegou dentro do horário para fazer o Enem no campus de uma universidade particular de Cuiabá, no Mato Grosso, mas percebeu que havia esquecido o documento de identidade em casa. O estudante ligou para o pai, Valdecir Rodrigues, levar o documento até o local de prova, mas Valdecir estava trabalhando e não conseguiu chegar em tempo para que o filho participasse da prova. De moto, ele saiu do trabalho e foi até a casa da família, no Bairro Bela Vista, buscar o documento. O pai só conseguiu chegar ao local de prova,distante do bairro em que mora, quando o portão da universidade já estava fechado havia cinco minutos.
O estudante Pablo Cesar de Oliveira Santana, 18, queria pontuar no Enem para fazer publicidade, mas chegou atrasado dois minutos em Aracaju (Foto: Marina Fontenele)Pablo não sabia como chegar ao local de provas e
acabou se perdendo (Foto: Marina Fontenele)
Não sabia onde era a prova
O estudante Pablo Cesar de Oliveira Santana, 18 anos, estava na sua segunda tentativa do Enem para o curso de publicidade na Universidade Federal de Sergipe, em Aracaju. Segundo ele, no ano passado a prova foi feita apenas por experiência e dessa fez ele havia se preparado, fazendo um cursinho e estudando cerca de três horas por dia em casa. “Eu estava saindo de casa com um amigo e percebi que esqueci o cartão, voltei e pedi carona de moto para um tio, ele ainda foi abastecer e como não sabíamos onde era colégio pedimos informações, mas informaram errado. Acabamos chegando atrasados”, disse Pablo.
Retardatário Enem DF (Foto: Isabella Formiga/G1)Retardatário Enem DF (Foto: Isabella Formiga/G1)
Se perdeu dentro do campus
O estudante Max Mendes, de Brasília, chegou 15 minutos atrasado neste sábado (26) ao local de prova, na Asa Sul, em Brasília, e perdeu a chance de disputar uma vaga ao programa Ciência sem Fronteiras, que envia alunos brasileiros a cursos em universidades estrangeiras. Com a boca seca de tanto correr, Mendes disse que saiu de Planaltina de carona e preferiu fazer a pé o caminho do eixo W, paralelo à W3, uma das principais vias de Brasília até a escola por causa do congestionamento. Segundo ele, não foi possível seguir a recomendação do MEC e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) de visitar antes do dia da prova o local onde faria o exame. Costa afirmou que nunca tinha ido à UnB e não conseguiu achar a sala onde deveria fazer as provas. “Não consegui achar o endereço. Ele não vem explicado”, afirmou. Ele disse que as pessoas para quem perguntou onde era o local onde faria a prova indicaram para ele direções erradas. “Eu nunca tinha vindo aqui.”
Letícia Santos, 22, chegou seis minutos atrasada para o Enem em Salvador (Foto: Ruan Melo/G1 BA)Letícia Santos, 22, chegou seis minutos atrasada
para o Enem em Salvador (Foto: Ruan Melo/G1 BA)
Pegou muito trânsito
Letícia dos Santos, de 22 anos, saiu de casa com 2h de antecedência para fazer o Enem em Salvador, na Bahia. Porém, a jovem chegou seis minutos após o fechamento dos portões na Escola Politécnica da UFBA, na Federação, onde iria fazer as provas pela segunda vez. "Dá raiva", disse Letícia que pretende cursar fisioterapia. Ela afirmou que o atraso foi devido à lentidão do trânsito na capital baiana. "Eu moro no bairro Santa Cruz. A cidade está toda parada, engarrafada. Essa é a segunda vez que faço o Enem, na primeira, fiz a prova perto de casa. Me botaram em um local muito longe", justifica.
Acho que não dá mais, diz João sobre prova no domingo (27) (Foto: Joana Caldas/G1)João, de 36 anos, queria tentar uma vaga no curso
de psicologia da UFSC (Foto: Joana Caldas/G1)
Demorou para estacionar o carro
Dois candidatos chegaram atrasados à porta do Espaço Físico Integrado (EFI), novo prédio de salas de aula do campus de Florianópolis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), neste sábado. O novo edifício é localizado atrás do Centro de Comunicação e Expressão (CCE). Um dos atrasados foi João Volpini, de 36 anos. Ele conta que pretendia fazer o Enem para tentar entrar no curso de graduação em psicologia na UFSC, mas um contratempo acabou fazendo com que ele ficasse de fora da sala de provas. “O trânsito estava muito difícil. Vim de carro, foi difícil estacionar também”, contou, desanimado. Sobre se virá neste domingo (27) fazer as outras provas do Enem,  apenas disse: “acho que não dá mais”.
O estudante Felipe Campos dos Santos, 20 anos, chegou três minutos atrasado e não conseguiu entrar a tempo na escola Carmela Dutra, em Porto Velho, para prestar o Enem. "Confundi os horários. Falaram que era mais cedo. Depois soube que era mais tarde", ju (Foto: Marcos Paulo/G1)Felipe chegou três minutos atrasado e não
conseguiu entrar a tempo (Foto: Marcos Paulo/G1)
Perdeu a prova por três minutos
O estudante Felipe Campos dos Santos, de 20 anos, chegou três minutos atrasado e não conseguiu entrar a tempo na escola Carmela Dutra, em Porto Velho, em Rondônia, para fazer o primeiro dia de provas do Enem. "Confundi os horários. Falaram que era mais cedo. Depois soube que era mais." O jovem faria prova para deixar instituição particular e ingressar em uma universidade pública. "Vai ficar para a próxima", disse ele, conformado. Na escola Carmela Dutra, quatro candidatos chegaram atrasados e perderam a prova.
Suely Rodrigues, 45 anos, perdeu o Enem em Rio Branco (AC) (Foto: Yuri Marcel/G1)Suely Rodrigues, 45 anos, perdeu o Enem em Rio
Branco (AC) (Foto: Yuri Marcel/G1)
O relógio falhou
Aos 45 anos, Suely Rodrigues, ia prestar o Enem pela segunda vez para o curso de nutrição. Mas por uma falha no celular acabou chegando atrasada ao seu local de provas em Rio Branco, no Acre. "Acho que meu celular não está com a hora correta", explicou Suely. Depois de perceber que havia perdido a chance de fazer a edição de 2013 da prova, ela se mostrou desanimada. "Estou chateada comigo mesma, sempre sou pontual. Fiquei de fora. Mas a gente não pode perder a esperança", desabafou a candidata.
Eletricista Carlos Castro, de 60 anos, diz que trânsito o atrasou para o Enem em BH. Ele ia tentar uma vaga em direito (Foto: Pedro Ângelo/G1)O eletricista Carlos, de 60 anos, diz que obras
atrapalharam o trânsito (Foto: Pedro Ângelo/G1)
Obras no caminho atrapalharam trânsito
O eletricista Carlos Castro, de 60 anos, reclamou da intolerância no horário de fechamento dos portões. De acordo com organizadores, os portões dos prédios da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, fecharam às 13h05, cinco minutos depois do horário estipulado pelo Ministério da Educação. O candidato chegou às 13h06. "Estudei o ano inteiro pra chegar aqui e eles não darem nem cinco minutos de tolerância. É uma lástima, é difícil", disse o eletricista, que ia tentar entrar no curso de Direito. "Eu moro na região de Venda Nova, uma situação dramática no trânsito. Asfixiado pelas obras que eles estão fazendo aí, obras da prefeitura. Isso me prejudiciu bastante. Eles são muito radicais também", reclamou.
Início pontual
Os portões dos mais de 15 mil locais de prova pelo país o exame fecharam pontualmente às 13h (do horário de Brasília). Neste sábado (26), os candidatos farão a prova de ciências humanas e a de ciências da natureza, ambas com 45 questões. O tempo mínimo para permanecer na sala de provas é duas horas, e o tempo máximo para resolver as questões é de 4h30. No domingo (27), as provas serão de linguagens, matemática e redação, com 5h30 de duração.
G1 terá programa ao vivo
Uma hora após o término das provas, o G1 terá programa em vídeo ao vivo com professores do Curso de A a Z, do Rio, e do Projeto Educação, da Globo Nordeste, no Recife, e estudantes que fizeram o exame. Eles comentarão os níveis de dificuldade de cada uma das provas. Candidatos do Enem poderão enviar perguntas e comentários pelo Twitter usando a hashtag #G1noEnem.
Também depois do término das provas, o G1 vai trazer a resolução extra-oficial de cada uma das questões do Enem feita por professores dos cursinhos Etapa, de São Paulo, e Oficina do Estudante, de Campinas (SP).
Os resultados
Os gabaritos oficiais das provas objetivas serão divulgados no site http://portal.inep.gov.br/enem no dia 30. Os candidatos poderão acessar os resultados individuais do Enem 2013 em data ainda a ser divulgada, mediante inserção do número de inscrição e senha ou CPF e senha no endereço eletrônico http://sistemasenem2.inep.gov.br.

Nenhum comentário: