Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Prefeitura e Manifestantes sem tetos chegam a um acordo

DEPOIS DE MAIS DE 280 HORAS ACAMPADOS EM FRENTE À PREFEITURAMANIFESTANTES SEM TETOS FAZEM ACORDO E DEIXAM O LOCAL!

Os manifestantes que a mais de uma semana estiveram acampados em frente ao prédio da Prefeitura de Itaituba reivindicando a documentação das arias de terra localizada na aria urbana do município entraram em acordo com a prefeita Eliene Nunes que após longas horas de conversa assinou um documento dando –lhes certeza de que ate o próximo dia 14 de março será dado encaminhamento no pedido feito pelos manifestantes sem tetos.
A representante da prefeita a chefe de gabinete Fatima Rosa foi quem conduziu a reunião que na opinião de Jorge Campos Líder do movimento em Itaituba foi muito proveitoso.
“apesar do cansaço e do desgaste físico e emocional podemos nos declarar vitoriosos, pois o nosso objetivo foi alcançado, estamos satisfeitos com a atuação do nosso advogado”. Disse o líder dos sem tetos Jorge Campos
Até aqui por: Neemias Cordeiro.

Prefeitura e ADASTI chegam a um acordo

Depois de passado 12 dias acampados em frente a prefeitura municipal, os integrantes da Associação dos Amigos Sem Teto de Itaituba (ADASTI) desocuparam o logradouro,após  uma acordo selado entre a Associação e a prefeitura. Onde chegaram a um entendimento sobre Regularização Fundiária do Município de Itaituba que é uma questão histórica que envolve terras das zonas urbana e rural. Conforme carta aberta, os líderes argumentam que  conseguiram firmar diálogo com o poder público que culminou com a decisão de formar Grupos de Trabalho para acompanhar os processos e as decisões sobre moradia e titulação de terras.
Recentemente, a Prefeita Eliene Nunes esteve em Brasília onde participou de um evento que pautou justamente a questão fundiária nos municípios brasileiros, como, por exemplo, as Medidas Urbanísticas e Ambientais como suporte da Regularização Fundiária; bem como, a regularização da base imobiliária; a participação comunitária; e o cadastramento físico e social dos moradores através de Medidas Sociais.
Conforme a Carta Aberta, no dia 14 de março, a entidade irá reunir com os representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Instituto Nacional de Colonização Agrária (INCRA), Superintendência do Patrimônio da União e Câmara Municipal para reivindicar esta questão.
Fonte: Ascom PMI
Reações:

0 comentários: