segunda-feira, 14 de abril de 2014

Fatastico destaca sobre desaparecidos do voou da Jotan!

Foto extraída do Facebook, da página de Júnior Ribeiro

A reportagem que o Fantástico exibiu neste domingo, serviu acima de tudo para mostrar as dificuldades que existem nas buscas ao avião da Jotan, desaparecido desde o dia 18 de março. Foi produzida com grande profissionalismo, com responsabilidade e sem sensacionalismo. Até mesmo para nós que vivemos por aqui pudemos saber detalhes que não tinham chegado ao nosso conhecimento.


Não acredito que essa matéria possa servir como elemento de pressão sobre as autoridades, para que os esforços pelas buscas possam ser redobrados.

Uma coisa que muita gente já tinha me perguntado, coisa que eu não soube responder por falta de conhecimento e falta de informação diz respeito ao alcance da varredura feita pelo avião Orion P-3, que pode captar sinais de aeronaves caídas, tanto no meio da mata, quanto dentro da água.

Embora sirva como informação para dirimir essa dúvida, o mistério sobre o sumiço do avião da Jotan só faz aumentar, porque o P-3 não conseguiu êxito em sua missão.

Tudo que se quer é que seja encontrado o Baron que era comandado pelo piloto Luiz Feltrin, que levava quatro passageiros. Mas, tem sido em vão todo o esforço desprendido até agora. De qualquer forma, a matéria do Fantástico, pelo menos, colocou um pouco mais de luz sobre os fatos, no que se refere ao complicado trabalho das buscas.

Sexta-feira deste semana vai completar um mês que o avião desapareceu. Quiçá, neste começo de semana possamos ter alguma informação concreta sobre esse mistério.
blog do jota parente 

segunda-feira, 14 de abril de 2014


PADRÃO GLOBO DE BOÇALIDADE E CONIVÊNCIA COM O DESCASO PARA INGLES VER

Jacareacanga - Após análise, reflexão da matéria que foi ao ar na noite de ontem pelo Fantástico, sobre o sumiço do avião  bimotor da Jotan e seus ocupantes, paira a sensação que somos frágeis diante do poderio institucional do Brasil e dos apaniguados das instituições governamentais como a Globo que se permitem fazer o que querem, e abandonar o mais necessitado, neste caso cinco vidas perdidas em uma imensa floresta.

Inicialmente a repórter Cassiele,  bastante conhecida em nossa região já que é oriunda dos programas jornalísticos televisivos de Itaituba e ensaia apresentações na TV Liberal, acompanhou parte das buscas iniciais, e pelo andar da carruagem pensava-se que a digna repórter faria uma ponta no Fantástico, no minimo no JN mostrando o encontro dos desaparecidos etc... Ledo engano. Cassiele acompanhou a evolução das buscas e a sentida omissão governamental pela necessidade de ser colocado nas buscas militares de selva coisa que nunca deu certo pela odiosa omissão de nossas autoridades do Ministério da Defesa. Subitamente ao que parece o Padrão Globo de Boçalidade convidou Cassiele para retirar-se  de cena pois entraria novo profissional de reportagem vinculado a ao plim plim  através da TV Liberal, para que fosse restaurada a aura de dignidade de nossas forças armadas, tao desgastadas, presumo, por desesperados comentários em uma comunidade social que colocaram em julgamento a fragilidade dos Batalhões de Infantaria do Brasil, e seus capos dado o desprezo que o Comando da Defesa dispensou aos milhares de clamores que suplicavam por socorrerem as cinco vidas perdidas no ermo. 

A reportagem levada a efeito ontem beira a ficção, a barbeiragem e a burrice, pois retratou os bravos militares do ECO BRAVO  em busca dos desaparecidos junto com a equipe de reportagem; muito se fala na montagem de uma farsa fotográfica ou cenográfica para iludir a opinião pública e valorizar a ação do pequeno grupo de militares, que na verdade pouco mesmo fizeram, entretanto com um contingente maior seriam capazes de fazer muito e decidir em favor da vida dos desaparecidos. A reportagem  insistiu em dizer que nossa região era isolada, remota e pouco habitada para mostrar a dificuldade dos pouquíssimos homens de selva (menos de sete adentraram à floresta) de fazerem trabalhos de localização busca e salvamento. Exagerou o repórter dizendo  que quarenta e cinco militares estavam na operação; e isso É MENTIRA!  e elencou as dificuldades da área isolada, remota, e que a permanência prolongada na mata era extremamente difícil, pela região ser inóspita, de difícil acesso com umidade e calor insuportável que provocava súbita desidratação nas pessoas reportou-se um jovem oficial.

O trabalho jornalistico exibido esqueceu de honrar com a verdade, em mostrar a real necessidade de muitos homens da Infantaria para vasculharem a selva já que por via aérea é impraticável, e não conseguiu registrar flagrantes fotográficos de nenhuma das mais de uma dezena de equipes de anônimos e populares que desde o dia 18 p.p. estão no trabalho de buscas, talvez porque esses não estavam envergando um uniforme rajado e Verde-Oliva. DESCASO!

Reações:

0 comentários: