sábado, 10 de janeiro de 2015

O abismo entre a riqueza e a pobreza no nosso município vai ficando cada vez maior

Já estamos vivendo um novo ano e sinceramente, gostaria de estar aqui exaltando a chegada de 2015, mas infelizmente a lembrança de 2014 ainda está muito presente na cabeça de todos nós e só Deus e a população de Itaituba sabem, o quanto foi sacrificante a sobrevivência durante os 365 dias de 2014.
O itaitubense sofreu apertos de todos os lados, teve o blecaute da telefonia celular e a internet caminhou no mesmo rumo; teve aumento no carnê do IPTU, no preço carne e, na conta de luz então, nem se fala, porque aí já não foi mais um aumento de preço, foi um verdadeiro assalto ao bolso do pobre consumidor.
Em troca de tudo isso, recebemos apenas a indiferença dos nossos governantes, pois pagamos o IPTU e não temos uma coleta de lixo eficiente e a maioria das ruas ainda continua sem asfalto. A taxa de iluminação pública subiu junto com a conta de luz e a maior parte da cidade passou o natal e a virada de ano às escuras.
Por causa da ganância de alguns empresários, a carne que já andava escassa na mesa das famílias menos favorecidas, agora sumiu de vez, e em 2104, até o cardápio da merenda escolar dos alunos da rede municipal de ensino ficou mais magro, uma verdadeira crueldade contra centenas, milhares de crianças que tinham na merenda da escola a única fonte certa de alimentação, eu disse tinham, porque até isso que faltou em 2014. 
Em contrapartida, para usar um termo bem em moda nesse governo, a prefeitura vem tentando solucionar os problemas de seus munícipes à custa de doações alheias, como se fosse uma instituição de caridade, e a população vai ficando exposta à mercê da boa vontade dos empresários, como está ocorrendo no caso do aeroporto.
Os equipamentos estão sendo doados pelas empresas para que o aeroporto voltar a funcionar, só que a conta por essa caridade, com certeza virá depois, embutida no preço da passagem, pois as empresas visam tão somente ao acúmulo de capital, e como o poder público não cumpre a sua parte, o abismo entre a riqueza e a pobreza no nosso município vai ficando cada vez maior e todos nós sabemos que esse é o estopim para o aumento da violência.
Por tudo isso, a chegada a chegada de 2015 veio com a sensação de que vamos continuar a gastar as mesmas energias dos anos anteriores nas lutas de sempre, já que os principais anseios da população, mais uma vez, não foram atendidos no ano que passou.

Weliton Lima, jornalista, comentário veiculado no telejornal Focalizando, quinta-feira, 08/01/15

Nenhum comentário: