Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Comissão do impeachment será instalada na terça

A comissão especial do Senado que analisará o impeachment da presidente Dilma Rousseff vai realizar sua primeira reunião nesta terça-feira (26).
A informação foi confirmada nesta segunda (25) pelo senador Raimundo Lira (PMDB-PB), indicado pelo partido para presidir o colegiado. "A comissão será instalada amanhã [terça] às 10h", disse Lira à reportagem.
Os 21 titulares e 21 suplentes da comissão serão eleitos pelo plenário do Senado na tarde desta segunda -todos os nomes foram indicados até a última sexta (22).
Por ser o mais velho do grupo, Lira é quem convoca a primeira reunião do colegiado, que ratificará sua escolha para presidi-lo. Segundo Lira, neste primeiro encontro de terça será eleito também o relator da comissão, função responsável por elaborar o parecer contra ou a favor da admissibilidade do processo de impeachment.
O PSDB indicou o senador Antonio Anastasia (MG) para o cargo, mas o PT é contra e ainda tenta articular um outro nome. O problema do governo é que tem apenas cinco dos 21 votos dentro da comissão, o que dificulta barrar o tucano numa eleição interna.
Lira planeja levar o parecer da comissão a voto no dia 9 de maio, último dos dez dias úteis previstos para que o colegiado especial conclua seu trabalho. No caso, ele prevê que o plenário do Senado vote o mesmo parecer -que decidirá pela abertura ou não do processo- em 12 de maio, uma quinta.
São necessários os votos de pelo menos 41 dos 81 senadores para que o processo seja aberto e Dilma afastada por até 180 dias. Enquete feita pela Folha de S.Paulo aponta que 50 senadores são a favor da admissibilidade do caso. Ao mesmo tempo, apenas 39 dizem que apoiarão o impedimento definitivo de Dilma (nesta etapa, exige-se o mínimo de 54 votos para o impeachment).

(Folhapress)
Reações:

0 comentários: