Postagem em destaque

Helder deve ser julgado nesta quinta-feira pelo TRE

Ministro é acusado de abuso de uso indevido dos meios de comunicação O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (PMDB), dever...

terça-feira, 27 de setembro de 2016

FHC e Aécio reforçam campanha de João Doria a cinco dias das eleições

 A cinco dias das eleições, o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, João Doria, exibiu em sua campanha na TV declarações de apoio dos principais integrantes da cúpula de seu partido, como o senador Aécio Neves (MG), e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
As falas têm forte efeito simbólico para a campanha do tucano, que por meses conviveu com a divisão nas bases do partido em São Paulo e a desconfiança dos principais nomes do PSDB nacional. Doria foi alçado candidato com o apoio exclusivo do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. É ele, por sinal, quem encerra a peça publicitária do tucano, falando após todos os caciques e desejando "boa sorte" ao afilhado político.
Além de Aécio e FHC, aparecem na peça os senadores Aloysio Nunes e José Aníbal, ambos eleitos por São Paulo. Em entrevista à Folha, publicada na última segunda (26), FHC havia adiantado que declararia apoio ao candidato do PSDB, mas sem citar o nome de Doria.
Na publicidade, o ex-presidente é mais explícito. "Apoiei pelo Brasil afora os candidatos do PSDB. Na minha cidade, que é São Paulo, da mesma maneira. Eu vou votar no João Doria", diz FHC.
Aécio, que disputa internamente com Alckmin a vaga de presidenciável do PSDB em 2018, chega a dizer que "a eleição de João Doria é fundamental não só para São Paulo, mas para todo o Brasil". "Ele significa a renovação correta da política brasileira", afirma.
José Serra é o único entre os tucanos da cúpula do PSDB paulista que não aparece nas gravações. Assim como FHC, ele é amigo pessoal de Andrea Matarazzo, vice de Marta Suplicy (PMDB), rival de Doria na disputa.
Na entrevista à Folha, FHC disse que sua declaração de apoio a Doria não deveria ser transformada em um "case" porque não é "militante da eleição municipal".


Reações:

0 comentários: