sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Os desafios da nova administração na área da saúde

Itaituba está entre a grande maioria dos municípios brasileiros que não possui leitos de UTI. Portanto, os pacientes que chegam ao Hospital Municipal de Itaituba precisando de atendimento de média e alta complexidade, são transferidos imediatamente para Santarém.

Ocorre que por razões políticas que vem desde a primeira gestão da ex-prefeita Santarém, Maria do Carmo, esses pacientes não são encaminhados diretamente para o HRBA; todos têm que passar primeiro pelo Hospital Municipal de Santarém que funciona como uma central de regulação de pacientes para o Hospital Regional.

Por isso, o HMS está sempre superlotado e é essa situação que a administração do prefeito Nélio Aguiar pensa em mudar.

Para Itaituba, essa medida do prefeito Nélio Aguiar, se for adotada em curto prazo, impõe ao prefeito Valmir Climaco a necessidade de acelerar o processo de requalificação do HMI, ou a inaugurar a UPA, o mais rápido possível  para garantir o atendimento de pacientes mais graves, até que sejam encaminhados direto para o HRBA. 

Essa é uma parte do problema que a atual gestão terá que resolver em curto prazo. A outra será conviver com a pressão que historicamente as famílias de pacientes graves fazem sobre as autoridades de saúde do município, querendo a transferência imediata para Santarém.

Se o prefeito Nélio Aguiar conseguir mudar as regras do sistema atual que como disse, vem desde o governo da petista Maria do Carmo, a solução para abreviar o tratamento dos casos de média e alta complexidade de pacientes de Itaituba e demais municípios dessa região só virá com conclusão do Hospital Regional do Tapajós, e as obras desse hospital ainda estão paradas e sem previsão para serem retomadas.  
Weliton Lima, jornalista - Comentário do Focalizando, quinta-feira, 19/01/17


Reações:

0 comentários: