quarta-feira, 28 de junho de 2017

Avião de cocaína preso pela FAB- Dono da droga é de Novo Progresso

“Droga apreendida é avaliada em mais de R$: 20 milhões”

O copiloto da aeronave que foi interceptada com 634 kg de cocaína em Goiás, Fabiano Júnior da Silva, disse à Polícia Federal (PF) que contratou o piloto por R$90 mil para transportar a droga é morador de Novo Progresso.
Interceptação
A aeronave, matrícula PT-IIJ, foi interceptada no domingo (25) na zona rural de Jussara, que fica a cerca de 225 km de Goiânia, no noroeste do estado. Os ocupantes fugiram do local, mas a droga foi apreendida pela Polícia Militar e levada para a sede da PF em Goiânia.
O piloto e o copiloto foram detidos pela PF na noite desta segunda. Eles foram presos em um hotel a cerca de 30 km do local onde a aeronave pousou. O copiloto “Fabiano Júnior da Silva” é morador de Novo progresso onde exerceu profissão de mecânico de avião.
“Na aeronave foram encontrados alguns documentos pessoais […]. Moradores viram duas pessoas suspeitas que haviam entrado em um hotel. Quando chegamos lá identificamos que eles seriam as pessoas que fugiram do avião”, disse Gama.
Transporte de drogas
A dupla informou à Polícia Federal que saiu com o carregamento da Bolívia e tinha como destino uma fazenda em Jussara. Ainda em depoimento à corporação, o piloto informou que receberia R$ 90 mil para levar a droga. Já o copiloto “Fabiano Júnior da Silva”disse que era responsável pela cocaína.
“Vai ser apurado agora desde a propriedade da aeronave, quem seria o real proprietário dessa droga e qual seria o destino final da droga, pois há fardos indicando que podem ser outros estados ou até mesmo para o exterior. [Carregamento vale] aproximadamente R$ 20 milhões no território nacional. Quando a droga vai para fora o valor vai duplicar ou triplicar”, afirmou o delegado.
Perseguição e apreensão
Ainda segundo o delegado, Polícia Federal havia repassado informações sobre o carregamento de cocaína à FAB, que enviou um avião para fazer o acompanhamento da aeronave. A Força Aérea ordenou que o bimotor mudasse a rota e pousasse no Aeródromo de Aragarças, em Goiás. Inicialmente, o piloto obedeceu às ordens, mas ao invés de pousar, desviou o curso.
Com isso, o avião da FAB “executou um tiro de aviso” para fazer a aeronave cumprir as ordens. O órgão esclareceu que o disparo não atingiu nenhuma parte do bimotor. A aeronave então pousou na zona rural de Jussara. Na aterrissagem, a asa da aeronave e a cauda ficaram danificadas.
O tenente-coronel da Polícia Militar Ricardo Mendes informou na segunda que a corporação foi acionada logo no início da interceptação. “O Graer [Grupo de Radiopatrulha Aérea da PM] foi chamado pelo fato da aeronave já estar em espaço aéreo de Goiás e pela mobilidade do helicóptero da polícia de conseguir pousar em locais mais difíceis, coisa que o avião da FAB não conseguiria”, informou Mendes.

O policial afirmou ainda que a cocaína encontrada era pura. “Ainda poderia ser misturada, e a quantidade, multiplicada. Essa foi a maior apreensão de cocaína da história por parte da PM em Goiás”, disse.

Nenhum comentário: